#032 – Trump e a faca no pescoço

SIGAM MEUS PROJETOS

Além de tocar o Margem Jornalismo, ainda tenho mais dois projetos á no Instagram: o Manda Livro e Agulhada Discos. Vou explicar sobre eles.

1- MANDA LIVRO
A proposta é dar dicas de livros. Simples assim. Posto alguns livros que tenho e outros que não tenho, mas que também quero ler. Gosto muito ler (tento acabar com, pelo menos, 12 livros por ano). Sou viciado real em livros. Sempre que posso (e o dinheiro permite) compro algum novo. A ideia é levar mais conhecimento.

2 – AGULHADA DISCOS
Coleciono discos de vinil há alguns anos. Já tenho algumas dezenas que vão desde o brega do Pará até o grind japonês. Por isso, resolvi divulgá-los nesse perfil. Também conto alguns bastidores de cada LP.

#colunistas

Feliz demais pelas pessoas que estão participando do nosso projeto.

Hoje temos uma estreia: Rafael Arranz é nosso especialista em Economia. 
Ele é sócio de uma empresa de investimentos, fundador e publisher de um veículo de comunicação dedicado à economia e investimentos responsáveis, além de co-fundador de uma consultoria internacional de desenvolvimento de negócios. Ou seja: sabe muito! Já leia o primeiro texto dele:
“Brasil, o eterno voo de galinha”.

Essa semana ainda temos a Lara Bianco e suas maravilhosas dicas no “Cine s Série”. Hoje ela traz um filme mega fofo para os apaixonados, mantendo o clima de romance do mês de junho. Obrigado, amor! <3

Fechando nossa trinca de peso, a Ana Julia Lacerda conta sua experiência com enxovais para seu filho Matheus. As dicas estão incríveis.
Ela até pergunta: “Dá para comprar enxoval perfeito?”.

JOE BIDEN LIDERA CORRIDA PRESIDENCIAL NORTE-AMERICANA

A corrida presidencial dos Estados Unidos está começando a decolar. 
Foi divulgada essa semana uma pesquisa eleitoral do The New York Times e Siena College que mostrou um cenário bem complicado para o presidente Donald Trump. Segundo os dados, o republicano está 14% atrás do candidato democrata e ex-vice presidente Joe Biden.

O momento é bem delicado para Trump.
O seu pouco caso com a pandemia, a economia que não deslancha, o recente assassinato de George Floyd e sua reação ao fato são fatores que podem complicar – e muito – o desejo do magnata em permanecer na Casa Branca. Junte a isso o fato do voto nos EUA ser facultativo.

Na pesquisa abaixo, analiso vários pontos para entendermos como está a cabeça do eleitor norte-americano. Com os dados, já podemos traçar algumas conclusões bem interessantes, como, por exemplo, a dificuldade que Trump terá em conseguir os votos femininos e das pessoas mais escolarizadas; ou do apoio do republicano por parte de homens-brancos-menos escolarizados.

Segue o fio da análise completa. Boa leitura!

1 – Possibilidade das pessoas votarem em novembro
-60% afirmou que é “quase certo” que irão.
-28% dizem que é “muito provável”.
-Somente 3% falaram que não é provável a ida.
-Os brancos estão mais certos que vão votar (65%) em relação aos latinos (55%) e os negros (50%).
-Os jovens entre 18 e 29 são quem têm o menor percentual de “quase certo” (50%).
-Quanto mais velho, mais a fatia de “quase certo” de que irão votar.
-O republicanos estão mais certos do que os democratas: 68% a 63%, respectivamente.

2 – Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria?-50% disse que votaria no candidato democrata Joe Bien.
-36% iria no presidente republicano Donald Trump;
-Há ainda 9% que não sabem ou não opinaram.
-Mulheres votam mais em Biden do que em Trump: 55% contra 33%, respectivamente.
-A quantidade de jovens entre 18 e 29 anos que votariam em Biden é mais que o dobro dos que escolheriam Trump.
-Entre os negros, o candidato democrata tem quase 16 vezes mais votos do que o atual presidente.
-Entre os latinos, Biden tem quase três vezes mais do que Trump.
-Entre os brancos, há um empate técnico: 44% para Trump e 43% para Biden.
-Quando vemos os graduados, Biden tem mais de três vezes a quantidade de votos em relação ao republicano.
-No Meio-Oeste norte-americano, terra tradicional dos republicanos, Biden tem 49% e Trump 33%.

3 – Avaliação
a) Donald Trump

-50% afirmaram que a impressão sobre o presidente é “muito desfavorável”. Para 27%, a impressão é “muito favorável”.
-homens mais velhos, brancos e com pouca escolaridade são os que avaliam o presidente mais favoravelmente.
-latinos e negros têm altos índices de avaliação “muito desfavorável”: 61% e 79%, respectivamente.

b) Joe Biden
-26% têm uma impressão “muito favorável”, a mesma quantidade para “um pouco favorável”. Há ainda 27% de “muito desfavorável”, exatamente o mesmo valor que avaliaram Trump como “muito favorável”.
-mulheres avaliam Biden mais positivamente do que os homens.
-Quanto mais velho e maior o grau de escolaridade, maior o índice de impressão “muito favorável”.
-pouco mais da metade dos negros disseram que a impressão é “muito favorável”, enquanto que nos brancos o índice foi de 21% – já os latinos, 28%.

c) movimento Black Lives Matter
-44% afirmaram que têm uma impressão “muito favorável”. Outros 22% disseram “um pouco favorável”. Há 14% afirmando “muito desfavorável”.
-mulheres têm uma impressão “muito favorável” maior do que os homens: 52% contra 36%, respectivamente.
-quanto mais velho, menor o índice de “muito favorável”: 67% entre 18 e 29 anos e 31% para quem tem 65+.
-nas raças, temos para “muito favorável”: 77% nos negros, 58% dos latinos e 37% dos brancos.
-quanto maior a escolaridade, mais favorável ao movimento.
-a quantidade de republicanos que acham o movimento “muito desfavorável” é sete vezes maior do que os democratas.

d) polícia
-43% disseram ter a impressão “muito favorável” e apenas 9% afirmaram “muito desfavorável”.
-quanto mais velho, maior o índice de “muito favorável”.
-o número de brancos que tem a impressão “muito favorável” é três vezes o de negros: 50 contra 13%, respectivamente. Logo, 21% dos negros e 6% dos brancos têm a imagem “muito desfavorável”.
-quando vemos democratas e republicanos, a diferença é clara. Entre os apoiadores de Trump, 78% afirmaram ter a impressão “muito favorável”, enquanto que 20% dos democratas disseram o mesmo.

3 – Avaliação do presidente Donald Trump
-47% “reprovam fortemente” e 26% “aprovam fortemente”.
-a aprovação é maior entre homens, mais velhos, brancos e com pouca escolaridade e republicanos do Sul.
-já a desaprovação é maior entre mulheres, jovens, negras e latinas, com alta escolaridade e democratas.

4 – Atuação de Donald Trump na pandemia
-58% desaprovam e 38% aprovam.
-as mulheres desaprovam mais do que os homens.
-os mais velhos aprovam mais do que os mais jovens.
-87% dos negros, 67% dos latinos e 52% dos brancos desaprovam. 
-quanto maior a escolaridade, maior a desaprovação.
-89% dos democratas desaprovam, enquanto que 86% dos republicanos aprovam.

5 – Atuação de Donald Trump na economia
-50% aprovam e 45% desaprovam.
-homens aprovam mais do que mulheres: 57% contra 44%, respectivamente.
-quanto mais velho, maior a aprovação.
-negros desaprovam mais que brancos: 70% contra 39%, respectivamente.
-norte-americanos com menor escolaridade aprovam mais do que os mais graduados.
-95% dos republicanos aprovam. Já entre os democratas, 77% desaprovam.

6 – Atuação com as relações raciais
-seis em cada dez norte-americanos desaprovam.
-homens aprovam mais que mulheres.
-quanto mais velho, maior o índice de aprovação. É 23% para quem tem entre 18 e 29 anos e de 44% para os 65+.
-91% dos negros e 70% dos latinos desaprovam. Entre os brancos, 55% não concordam.
-quanto maior a escolaridade, maior a desaprovação.
-78% dos republicanos aprovam. Entre os democratas, o índice sobe para 91%.
-37% dos norte-americanos do Sul aprovam, maior índice entre as regiões.

7 – Atuação com os protestos depois da morte de George Floyd
-62% desaprovaram. Houve 29% que aprovaram.
-quase oito em cada dez norte-americanos entre 18 e 29 anos desaprovaram. Já entre os cidadãos com 65+, 40% aprovaram.
-as mulheres desaprovaram mais do que os homens.
-85% dos negros, 72% dos latinos e 57% dos brancos desaprovaram.
-quanto maior a escolaridade, maior o índice de desaprovação.
-66% dos republicanos aprovaram e 88% dos democratas desaprovaram.

8 – “Você acha que os EUA estão indo na direção certa?”
-quase 60% afirmaram que o país está indo para o caminho errado.
-mulheres de meia idade são as que mais acham que a direção está errada.
-72% dos negros e 68% acham que a direção não está certa.
-entre os brancos, 36% concordam com o caminho de Trump.
-quanto maior a escolaridade, maior o índice de pessoas que acreditam que o presidente está indo para a direção errada.
-77% dos democratas acreditam que o caminho está errado – entre os republicanos, 29% tem a mesma opinião.

9 – Assassinato de George Floyd
-quase 60% afirmaram que a morte faz parte de um padrão de violência policial excessiva contra negros. 30% disseram que tudo não passou de um caso isolado.
-mulheres, jovens e com alta escolaridade são quem mais acredita que a morte se trata de uma estrutura contra os negros.
-homens, mais velhos e com baixa escolaridade acreditam mais na tese de que foi um incidente isolado.
-quase 90% dos negros creem que se trata de um padrão. Entre os brancos, 52% têm a mesma opinião.
-61% dos republicanos acreditam que Floyd morreu em um incidente isolado. Para os democratas, o valor é de 85%.
-quase 60% disseram apoiar as manifestações por serem pacificas e levarem uma mensagem importante.
-38% afirmaram ser contra pois, segundo eles, os atos tornaram-se violentos. 
-mulheres, jovens e com alta escolaridade apoiam mais.
-homens, mais velhos e com baixa escolaridade são os que mais desapoiam.
-87% dos negros apoiam, enquanto que 44% dos brancos são contrários.
-entre os democratas, 82% apoiam. Entre os republicanos, 68% são contrários.

10 – “Hoje a discriminação contra os brancos se tornou um problema tão grande quanto a discriminação contra negros ou outras minorias”
-40% discordam fortemente dessa afirmação. Há 20% que concordam fortemente com isso e outros 19% que concordam de certo modo.
-a afirmação é mais criticada por mulheres jovens e de meia idade, negras e latinas, com alta escolaridade e democratas.
-já a frase é mais apoiada por homens mais velhos, latinos e brancos, com baixa escolaridade e republicanos.

11 – “Em geral, você acha que a polícia tem mais chances de usar força letal contra uma pessoa negra, mais probabilidade contra uma pessoa branca ou você acha que a raça não afeta o uso da força mortal pela polícia?”
-54% afirmaram que a maior probabilidade é de usar a força contra negros. Para 37%, a raça não interfere no uso da força letal por parte da polícia.
-mulheres mais jovens, com alta escolaridade e democratas são as que disseram que a chance é maior entre negros.
-homens mais velhos, com grau baixo de escolaridade e republicanos são os que mais afirmaram que a raça não interfere.
-87% dos negros disseram que a polícia tem a chance maior de usar força letal contra eles. E 33% dos latinos afirmaram que a raça não interfere – entre os brancos, foram 43%.
-o número de democratas que acham que a polícia usa mais força contra os negros é cinco vezes maior quando comparados com os republicanos.

12 – “Em geral, você acha que o sistema de justiça criminal nos EUA é tendencioso contra negros? Ou você acha que ele trata as pessoas igualmente, independentemente da raça?”
-56% disseram que o sistema é tendencioso contra os negros e 36% afirmaram que o sistema trata todo mundo igual independente da raça.
-mais mulheres do que homens acham que o sistema é tendencioso.
-quanto mais jovem, mais acha o sistema judicial tendencioso.
-89% dos brancos acham tendencioso. A opinião é a mesma para 67% dos latinos e 49% dos brancos.
-quanto maior a escolaridade, mais acha tendencioso.
-83% dos democratas acham tendencioso, enquanto que 71% dos republicanos acham que a Justiça trata todo mundo igual.

LEITURAS EXTRAS

1 – “Fadiga da quarentena” leva até os defensores do isolamento a se arriscarem contra as regras. Saiu no El País.

2 – Bairros de São Paulo com mais pretos e pardos têm mais mortes por Covid-19. Sapopemba, Brasilândia e Grajaú são os que lideram a lista. Leia na UOL.

3 – Matéria da revista piauí, escrita por Leandro Piquet Carneiro e José Vicente da Silva Filho, fala sobre o Bolsonarismo dentro da Polícia Militar. Para eles, “Muitos policiais militares podem ter simpatia por Bolsonaro, mas é improvável que arrisquem estabilidade corporativa para apoiar um líder disfuncional”.

4 – “Um retrato das mães solo na pandemia”. Reportagem incrível e cheia de dados e histórias da Gênero e Número.

5 – Alertas de desmatamento da Amazônia já superam os do ano passado.
Os dados foram divulgados pelo Estadão

#fotodasemana

Rio de Janeiro, junho de 2020
Foto – Brenno Carvalho, Agência O Globo