#067 – BBB, Bolsonaro e economia: o que está pior?

Ultimamente só se fala no Big Brother Brasil. Depois da edição 20 ser mega bombada, todos esperavam algo espetacular para a 21 – e ela está sendo bem impactante. Vale deixar claro que sou um telespectador assíduo e até faço umas análises em meu stories (me segue no Insta – @pedrochavedar)

Tudo indica que a Globo quis fazer um programa bem diversificado e surfar na onda do empoderamento negro vindo das manifestações do Black Lives Matter. Também quis colocar dois gays (um professor e um doutorando em economia) com características que não são daquelas imaginadas pela sociedade padrão. Manteve ainda os boy-bombado e colocou apenas uma “mulherona com corpásso” (se assim podemos dizer). 

Porém, ao que tudo indica, o tiro saiu pela culatra: os negros se tornaram os vilões: Karol Conká, Projota, Nego Di e Lumena – mas nem todos. Coube a eles serem os julgadores de outro negro, o Lucas.

Fazendo um paralelo com o Brasil, temos:
1 – Gabinete do Ódio: Karol Conká, Projota, Nego Di e Lumena
2 – Oposição Brasil ser Feliz de Novo: Gilberto, Juliette e Sarah
3 – Centrão: Camila de Lucas, Carla Diaz, João, Thais e Vih Tube
4 – Bancada Ruralista: Caio e Rodolffo
5 – Partidos satélites: Arthur, Fiuk e Pocah

Lembrando: Pocah e Arthur já foram puxados para o Gabinete do Ódio. Arthur já faz mais parte do núcleo duro ideológico do que a Pocah. Fiuk completamente avulso e tende a naufragar.

Neste BBB21, tem muito tema sendo discutido
– militância pela militância sem ouvir, onde apenas se tacha o “adversário” sem nenhuma empatia ou entendimento da realidade do outro. 
– bissexualidade. Quem é que define se uma pessoa é ou não bissxual, se não ela mesma?
– pré-conceito a partir do estereótipo. De cara, todo mundo torceria o nariz para os “bombados crossfit”, mas foram os negros descolados e com falas desconstruídas que mais causaram.
– passada de pano pra minha turma. Quando Lucas causou na festa, todo mundo acabou com o rapaz. Mas quando a Karol fez o mesmo, a régua não foi a mesma. Pau que bate em Chico não bateu em Francisco. Agora traz isso para a sociedade quando o assunto é abuso, racismo, piada com gay…

Outra coisa que ando pensando muito: o formato do programa.
Ao meu ver, a Globo vai precisar rever muita coisa para as próximas edições.
Os participantes estão pensando muito mais aqui fora no que lá dentro. Várias e várias vezes eles não falam algum nome ou alguma coisa com medo da edição. Isso reprime o conteúdo do programa. Outro ponto são as próprias atitudes deles lá dentro. É claro demais que o Fiuk entrou pautado para agir de uma maneira, mas se perdeu. Camila de Lucas sabe o que deve ou não deve ser dito para não se queimar. Isso é chato para o jogo!

Abaixo trago algumas reportagens que saíram na imprensa sobre o BBB21

– “Esquerda criou palco, ganhou espelho e não gostou do que viu”, diz filósofo sobre o reality. Para mim, um dos melhores – se não o melhor – texto sobre este BBB21. Wilson Gomes, filósofo e professor titular de Teoria da Comunicação da Universidade Federal da Bahia, fala muito bem sobre todo o contexto da esquerda na sociedade, em sua dominação do discurso, do protagonismo de uma pauta em detrimento da outra. Impecável. (BBC Brasil

– Em sua mais acalorada edição, BBB registra acusações de homofobia, racismo e xenofobia (O Estado de S.Paulo)

– Como a Rede Globo dita o que pensamos sobre raça no BBB 21. A emissora compreende os brasileiros melhor que qualquer sociólogo da USP e sabe vender opiniões de consumo fácil sobre raça. (The Intercept)

– MP do RJ tem 25 denúncias contra Karol Conká (IstoÉ)

Conversando com meu amigo Alex Tavares (um gênio do audiovisual), ele sugeriu que eu olhasse como o Google Trends tem se comportado em relação ao BBB e as pautas levantadas no programa. Vejamos alguns pontos.
Bissexualidade. Nos últimos 30 dias, o termo teve  pico de buscas em 7 de fevereiro (domingo), logo depois da festa em que o Gilberto e o Lucas se beijaram – e Lucas assumiu a sua bissexualidade e a casa inteira duvidou, dizendo que ele estava jogando. Os três estados que mais pesquisaram sobre o tema foram Amazonas, Paraíba e Ceará.
Racismo estrutural. No Jogo da Discórdia do dia 09/02, Lumena fez um discurso de defesa da Karol Conká levantando a questão sobre o racismo estrutural. Depois do programa, dispararam as pesquisas sobre o tema. Os assuntos mais procurados foi em relação a Tese (possivelmente o conceito do tema), seguido do significado de “fenótipo” e de Iluminismo. Nas consultas relacionadas ao racismo estrutural, destaque para duas que se destacaram entre as cinco primeiras: “desigualdade social no Brasil” e “desigualdade social”. Ainda houve quem procurasse por “redação sobre racismo estrutural”“racismo estrutural resumo” e “o q é racismo estrutural”.
Intolerância religiosa. Na última semana, houve um pico de buscas às 15h do dia 10/02 justo no dia em que Nego Di, Projota, Karol Conká e Lumena tiraram sarro de Xangô. O tema ficou tão sério que a Delegaria de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decrati) instaurou um inquérito para investigar o caso.
Doutorado. A busca por “doutoramento” teve um pico na noite de sábado e estava diretamente ligada ao participante Gilberto que foi aprovado em uma seleção de PhD na Universidade do Texas. O interessante é que entre os temas mais consultados estão “phd o que é?” e “o que significa phd”. Roraima foi o estado que mais procurou sobre o assunto, seguido da Paraíba, Amazonas e Pará.

Banimento do Terça Livre no Youtube tem pouco peso para a máquina bolsonarista no site

Para mim, o Núcleo Jornalismo é um dos melhores sites de dados-tecnologia-jornalismo do país. Nesta reportagem, o site mostra que, mesmo com a saída do Terça Livre do Youtube, o presidente Bolsonaro permanece forte na rede social pois há inúmeros canais que emanam a mensagem do Bolsonarismo.

Em volume, o Terça Livre não era o canal de com o maior número de views ou assinantes, segundo o monitoramento que a Novelo Data faz com 174 canais de extrema-direita mais atuantes no YouTube Brasil. Ao ser banido, o canal oficial do Terça Livre tinha uma base de 1,18 milhão de seguidores, o que o colocava na 21º posição do ranking da Novelo, atrás de canais alinhados ao bolsonarismo não tão conhecidos, como Bolsonaro TV (1,37 milhão – não confundir com o canal oficial do presidente) e Verdade Política (1,22 milhão).

O canal, porém, era um dos que mais produziam: se não considerarmos veículos tradicionais (como a Jovem Pan News) e órgãos do governo (TV BrasilGov), o Terça Livre ficava só atrás do Folha Política e do Brasil Notícias em total de vídeos. Desde sua estreia, em novembro de 2014, foram 4.605 vídeos publicados.

Vale ler a reportagem completa aquipara entender mais sobre o mundo dos influenciadores da extrema-direita bolsonarista.
 OBS: neste domingo, o G1 divulgou que a Justiça de São Paulo determinou que o o YouTube e o Google restabeleçam a disponibilidade na internet de dois canais de vídeos do blogueiro bolsonarista. A decisão determina que os canais retornem à disponibilidade em todos os meios – streaming, chat, assinatura para membros, inscritos e por acesso gratuito.

Prévia do PIB indica tombo de 4,05% em 2020

A informação é do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica) do Banco Central e, considerando o percentual do Índice, a economia brasileira teria a pior queda anual desde 1996, o início da série histórica do IBGE.

Considerando os anos anteriores, quando a FGV (Fundação Getulio Vargas) calculava nível de atividade, o IBC-Br registrou a maior queda desde 1990.

Divulgado todos os meses, o IBC-Br é um indicador que antecede a medição oficial do crescimento econômico do país. O índice incorpora estimativas para agropecuária, indústria e serviços, assim como impostos sobre os produtos.

Ainda neste mar de notícias negativas, a produção industrial recuou 4,5% em 2020, o pior resultado desde 2016. 

O setor registrou resultados negativos em todas as 4 grandes categorias econômicas:

  • bens de consumo durável: -19,8%;
  • bens de capital: -9,8%;
  • bens de consumo semi e não duráveis: -5,9%;
  • bens intermediários: -1,1%.

Entre as atividades, a de veículos automotores, reboques e carrocerias teve a influência negativa mais intensa sobre a indústria. Recuou 28,1% em relação a 2019. Foi pressionada, em grande medida, pelos itens automóveis, caminhão-trator para reboques e semirreboques, caminhões e autopeças.

Outras contribuições negativas vieram dos ramos de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-23,7%); indústrias extrativas (-3,4%); metalurgia (-7,2%); couro, artigos para viagem e calçados (-18,8%); e outros equipamentos de transporte (-29,1%).

Outro ponto negativo foram as vendas no comércio: queda histórica de 6,1% em dezembro em comparação com novembro de 2020. O valor é o maior tombo do setor para o mês desde o início da série histórica em 2000. No ano, o setor cresceu 1,2%.

Durante o 1º semestre de 2020, o comércio varejista recuou 3,2% com os efeitos da pandemia. No período, a duas únicas atividade que tiveram alta foram as de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (3,6%) e a de Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (5,4%).

Já no 2º semestre, o setor se recuperou e cresceu 5,1%, apesar de quedas significativas em 4 dos 8 setores. Eis um resumo dos resultados de cada segmento do comércio nos 6 últimos meses de 2020:

  • combustíveis e lubrificantes: -7,2%
  • hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: 4,2%
  • tecidos, vestuário e calçados: -10,1%
  • móveis e eletrodomésticos: 20,7%
  • artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria: 12,6%
  • livros, jornais, revista e papelaria: -32,7%
  • equipamento e material para escritório, informática e comunicação: -9,8%
  • outros artigos de uso pessoal e doméstico: 12,9%

Ebola ressurge na África e causa preocupação

Pelo menos três pessoas morreram de Ebola na Guiné, na África Ocidental, segundo autoridades de saúde locais. Outras cinco pessoas tiveram resultados positivos para o vírus. Elas adoeceram após comparecer a um enterro, apresentando sintomas como diarreia, vômitos e sangramento.

Leia mais sobre – BBC / O Globo / El País / The New York Times

Bitcoin consome mais eletricidade do que a Argentina inteira

O levantamento foi feito pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido. A criptomoeda é obtida por um processo de “mineração” que envolve muitos cálculos feitos em computadores, para verificar as transações.

Os pesquisadores afirmam que esses processos consomem cerca de 121,36 terawatt-horas (TWh) por ano – quantidade que não tende a cair, a não ser que o valor da criptomoeda despenque. (vale destacar que um terawatt equivale a 1 bilhão de kilowatts).

Críticos afirmam que a recente decisão da empresa Tesla de investir fortemente em bitcoins está fazendo esse consumo energético aumentar – e gerando questionamentos em torno dos compromissos ambientais adotados pela empresa. O valor da criptomoeda bateu recorde nesta semana, de US$ 48 mil, depois de a Tesla anunciar ter comprado cerca de US$ 1,5 bilhão em bitcoin e anunciado planejar aceitar a moeda como pagamento no futuro.

Nesse contexto, o alto preço da bitcoin oferece ainda mais incentivo para “mineradores” rodarem mais e mais computadores, usando energia.

Assim, quanto mais sobe o preço da criptomoeda, maior é o consumo energético, explica Michel Rauchs, pesquisador no Centro de Finanças Alternativas de Cambridge, cocriador da ferramenta online que gera essas estimativas.

Tauch explicou ao podcast Tech Tent, da BBC, que o próprio modo como a bitcoin foi projetada faz com que ela consuma muita energia, “e isso não vai mudar no futuro a não ser que o preço da bitcoin caia significativamente”

A ferramenta online desenvolvida por Rauch calcula o consumo de energia de bitcoins como sendo acima do da Argentina (121 TWh), da Holanda (108,8 TWh) e dos Emirados Árabes Unidos (113,2 TWh) e chegando perto do consumo da Noruega (122,2 TWh), a partir de estimativas de consumo energético dos países em 2016 (o consumo do Brasil foi de 509,1 TWh).

“Bitcoin é literalmente antieficiente”, explica David Gerard, autor de um livro sobre a criptomoeda. “Então não adianta ter hardwares mais eficientes para a mineração – eles só estarão competindo com outros hardwares eficientes. Isso significa que o uso energético da bitcoin e sua produção de CO2 só crescem. É muito ruim que toda essa energia seja literalmente desperdiçada em uma loteria.”

Fonte: BBC

Todos os vírus que provocam a Covid-19 na população mundial cabem em uma lata de Coca-Cola

Usando taxas globais de novas infecções com a doença pandêmica, juntamente com estimativas de carga viral, o especialista em matemática da Bath University, Kit Yates, descobriu que existem cerca de dois quintilhões de partículas do vírus Sars-CoV-2 no mundo.

Yates usou o diâmetro do Sars-CoV-2 — que tem, em média, cerca de 100 nanômetros, ou 100 bilionésimos de um metro — e então descobriu o volume do vírus esférico.

Mesmo levando em consideração o fato de que as partículas deixam lacunas quando são empilhadas, o total ainda é menor do que a capacidade de uma única lata de Cola-Cola de 330 mililitros (ml), disse ele.

“É surpreendente pensar que todos os problemas, as interrupções, as dificuldades e as perdas de vidas que resultaram no ano passado ocupam um espaço tão pequeno”, disse Yates em um comunicado.

Fonte: jornal Extra

O arriscado plano da China de “semear nuvens” em mais da metade do seu território

Pequim é uma das cidades mais poluídas do mundo, mas quando acontece uma reunião política importante ou um evento de relevância internacional o céu fica limpo, azul, e a luz volta à cidade. E isso não é coincidência.

O governo chinês vem usando programas de manipulação do clima há anos e, em dezembro do ano passado, deu um passo além: anunciou sua meta de expandir substancialmente sua capacidade operacional nessa área.

A China planeja expandir seu programa de chuva e neve artificial para cobrir 5,5 milhões de quilômetros quadrados até 2025, quase 60% de seu território (quase três vezes o México).

O governo elaborou um guia, anunciado em 2 de dezembro, para o desenvolvimento e expansão do programa de manipulação do clima. Três objetivos específicos foram estabelecidos: até 2025 “a área afetada pelas operações para aumentar a chuva artificial (ou neve) alcance mais de 5,5 milhões de quilômetros quadrados”;até a mesma data, que “a área protegida por operações de prevenção de granizo chegue a mais de 580 mil km²;em 2035 um ‘nível avançado geral’ seja alcançado por meio da inovação em pesquisas e tecnologias essenciais, bem como uma ‘prevenção abrangente de riscos de segurança.Fonte: BBC

#MandaDicas

Série nacional criada pela Globoplay em parceria com a área audiovisual do AfroReggae. Mikhael é líder da principal equipe do BOPE, o batalhão especial da Polícia Militar do Rio e Janeiro, e é o responsável pelas incursões nas favelas cariocas. Em 10 episódios, é possível ver como funciona o estado: a violência contra os moradores das favelas; a corrupção no governo do Estado; os interesses nos corredores do poder; o conceito de quem é o bandido (o político ou o favelado?); as costuras políticas entre deputados na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) e muito mais. É uma mistura de Tropa de Elite com House of Cards e Narcos. No meio disso tudo, ainda aparece um jornalista que defende os direitos humanos em seu blog. É uma baita série do Globoplay.
Livro importantíssimo para entendermos o que é a fome nas favelas brasileiras. Nascida no interior de Minas Gerais, Carolina Maria de Jesus foi morar na favela do Canindé, em São Paulo, com seus três filhos (João, José Carlos e Vera Eunice) e solteira – sobreviveu catando lixo e metal. Este livro nada mais é do que seus 20 diários escritos entre 1995 e 1960 – ela os escrevia em cadernos encontrados no lixo. O livro é lançado quando o jornalista Audálio Dantas visita a favela, conhece Carolina e se encanta pela história, ajudando-a a publicar as histórias. O título é uma alusão à metáfora que a autora utiliza em algumas oportunidades para expressar a posição da favela e de seus moradores em relação à cidade: “Quando estou na cidade tenho a impressão que estou na sala de visita com seus lustres de cristais, seus tapetes de viludos, almofadas de sitim. E quanto estou na favela tenho a impressão que sou um objeto fora de uso, digno de estar num quarto de despejo”.
A Secretaria de Cultura de Mogi das Cruzes começou uma série de encontros do programa Diálogo Aberto para mobilizar e aproximar as pessoas envolvidas com a cultura para que sejam definidas as políticas públicas para a cidade. Há conversas sobre teatro, circo, audiovisual, juventude, cultura nerd, cultura preta e muito mais. Clique aqui e entenda.

Textos complementares

Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou a autonomia do Banco Central, um desejo do Palácio do Planalto. Entenda o que muda. (Poder360). Você também pode ter outra visão com o texto “Banco Central independente de quem?” do Jacobin

Documentos inéditos revelam outra empresa de mãe de Aécio Neves em paraíso fiscal. Defesa de Inês Maria Neves Faria confirma que ela é beneficiária de holding em Luxemburgo desde 2018, mas não diz se a operação foi declarada à Receita Federal.
(revista piauí)

Exército compra bicicletas para triathlon a R$ 26,3 mil a unidade. (Veja). Mas também comprou bacalhau, uísque, cerveja e picanha. (Congresso em Foco)

Os repasses milionários para megaigrejas e televangelistas na pandemia nos EUA (BBC)

Bolsa Família: taxar ricos para financiar política social elevaria PIB em 2,4% (BBC)

“Usei certificado falso de teste de covid-19 para viajar”. O coronavírus mudou a forma como viajamos e muitos países agora exigem prova de um teste de covid-19 negativo antes de deixarem o viajante entrar ou sair. A repórter da BBC Joice Etutu conversou com duas mulheres que admitiram usar e vender certificados falsos. (BBC)

Bethânia: “Não gosto mais de falar do Brasil. Tenho vontade de chorar”. Artista conta de sua tristeza com o país, dá detalhes de álbum futuro e muito mais. (El País)

Preso por um crime que diz não ter cometido, Erivelto se “vingou” virando advogado. Aos 36 anos, o advogado, que fará a segunda fase do exame da OAB, quer ser inspiração para jovens do Morro do Cantagalo, onde ele vive. (Metropoles)

Como náufragos foram parar em ilha deserta e sobreviveram por 33 dias. Três cubanos foram resgatados pela Guarda Costeira dos EUA. (BBC)

Pastor se filma destruindo oferendas do Candomblé em novo caso de racismo religioso. “Em nome de Jesus” gritava Gledson Lima, da Igreja Tenda dos Milagres, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense (RJ). (Hypeness)

O país que rechaça a vacina contra covid e diz que não há coronavírus. Há meses, o governo da Tanzânia insiste que o país está livre de covid-19 — portanto, não há planos de vacinação. (BBC)

Ambulante ganha a vida com colaboração de garotas de programa em SP (UOL Tab)

Torcida de time egípcio, que jogou contra o Palmeiras no Mundial, ajudou a derrubar a ditadura de Hosni Mubarak com participação ativa na Primavera Árabe (Poder 360)

Pela primeira vez desde sua fundação em 1995, a Organização Mundial do Comércio (OMC) deverá ser chefiada por uma mulher. Aos 66 anos, a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala é a única candidata ao cargo de diretora-geral, após a desistência da sul-coreana Yoo Myung-hee (Claudia)

Como a extrema-direita usa o vídeo-game para atrair e recrutar adolescentes (The Guardian)

Morreu o ex-presidente argentino Carlos Menem, um caudilho popular bem ligado ao neoliberalismo e ao conservadorismo. (La Nacion)

As últimas do golpe militar em Mianmar: YahooAl Arabiya News The New York Times