#121 – A guerra começou!

Acordamos, nessa quinta-feira, com a guerra iniciada entre a Rússia e a Ucrânia. O presidente Putin avançou para dentro do território ucraniano com força militar e, ao que tudo indica, não pretende recuar tão cedo.

As informações ainda chegam e são desencontradas, principalmente as relacionadas a baixas entre militares. O fato é: a Rússia atacou. 

Tem muita, mas muita coisa envolvida nisso tudo. A começar pelo passado ucraniano, o centro do império russo do século passado. Na Ucrânia, há um grande sentimento russo – e ai vem o segundo ponto: as regiões do leste são mais ligadas a Moscou do que a Kiev e a Europa. Já as cidades mais a oeste, têm uma maior ligação com o Ocidente. Há grupos paramilitares historicamente financiados por Moscou para desestabilizar a nação, por exemplo.

Paralelo a isso, há o fim da Guerra Fria nos anos 90, a ocidentalização das ex-repúblicas soviéticas, o desejo dessas nações de se unirem a União Europeia e a OTAN, a perda de influência russa na região, a queda de presidente fantoches de Moscou nesses países, a chegada da China por ali e por ai vai.

O cenário geopolítico é gigantesco e envolve muitas frentes – isso sem nem começar a citar a parte econômica com os gasodutos que passam por ali.

O Brasil nisso tudo? Bolsonaro acabou de voltar da Rússia e teve um encontro com Putin. O presidente russo faz parte da turma de autocratas que são ídolos do presidente brasileiro, como Donaldo Trump e Vitor Orban, por exemplo. Trump é apaixonado por Putin, por exemplo. Temos a dúvida de como o Estado brasileiro vai se portar nesse caos todo – já temos indícios disso. Mas a grande questão é como Bolsonaro vai se portar.

Há ainda algo mais sombrio nisso tudo. Bolsonaro e sua família são fãs de Steve Banon, o ideólogo do trumpismo e da extrema-direita mundial. Junto a ele, temos Alexander Dugin, o cara que faz a cabeça de Putin e que também pauta a extrema-direita mundial. E você sabe quem é fã de ambos? Olavo de Carvalho, o guru do bolsonarismo. 

Os sinos da guerra

Lembrando que as coisas estão acontecendo em tempo real. Logo, já devemos ter mais informações e notícias que não estão aqui. Fiz uma curadoria mais amplas para entendermos a amplitude da guerra e as consequências em várias vertentes.

Rússia de Putin ataca a Ucrânia, que fala em ‘invasão total’. (Nexo)

Discurso de Putin. (Twitter)

Presidente da Ucrânia compara invasão russa a ataque nazista. (Último Segundo)

Mapa mostra locais da Ucrânia que foram bombardeados pela Rússia. (g1)

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, condenou o ataque russo e chamou a atenção para o risco de perda de vidas civis. Ele disse que os 30 países-membros do grupo, do qual a Ucrânia não faz parte, se reunirão para acordar uma resposta unificada ainda hoje. (OTAN)

‘Putin escolheu uma guerra que trará perdas de vidas e sofrimento’, lamenta Joe Biden. (g1)

Qual a decisão da Rússia-Ucrânia é a certa? (New York Magazine)

Novamente uma calamidade. Nenhuma nação é obrigada a repetir seu passado. Mas algo familiar está acontecendo na Ucrânia. (The Atlantic)

Líderes mundiais condenam invasão russa à Ucrânia. (Poder360)

Maduro e Ortega declaram apoio à Putin na contramão de líderes. (Yahoo)

Brasil prepara posição mais dura contra Rússia após invasão à Ucrânia. (Metrópoles) ‘Brasil não concorda com a invasão do território ucraniano’, diz Mourão; Bolsonaro ainda não se pronunciou. (g1)
 Comissão de Relações Exteriores da Câmara repudia ataques russos à Ucrânia. O presidente da comissão, Aécio Neves, disse que bombardeios devem ser fortemente condenados pelas instâncias multilaterais e os governos democráticos. (Veja)
Lula responsabiliza ONU por conflitos entre Rússia e Ucrânia: ‘Está virando decorativa’. (Carta Capital)

Pré-candidatos à Presidência condenam ataque russo à Ucrânia. (UOL)

China rejeita chamar ataque da Rússia contra a Ucrânia de ‘invasão’. (UOL)

Portugal diz que vai receber ucranianos que fogem da invasão russa. (Globonews)

Quanto o Ocidente vai se sacrificar pela Ucrânia? (The Atlantic)

Martín Baña investiga e reflete sobre algumas razões históricas e geopolíticas para entender o real conflito entre as duas ex-repúblicas soviéticas. (Revista Anfibia)

O pânico nas ruas de Kiev. (El País)“Eles não nos permitirão existir pacificamente”: invasão russa provoca medo na comunidade LGBTQ+ da Ucrânia. (Gay Times)
 Após invasão russa, embaixada do Brasil em Kiev pede aos brasileiros que fujam da Ucrânia se puderem. (BBC Brasil)
 EUA, Reino Unido e União Europeia estudam excluir a Rússia do sistema SWIFT. É o que conecta os bancos do mundo uns aos outros, permitindo movimentações financeiras. Os bancos russos se veriam impossibilitados de receber e enviar dinheiro para fora. (Washington Post)

Os preços do petróleo subiram 8% com a invasão da Rússia à Ucrânia. (CNBC)

Bolsas de Ásia e Pacífico despencam em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia. (UOL)

Quais produtos podem ficar mais caros com guerra entre Rússia e Ucrânia? Confronto deve agitar o mercado global e impactar produtos do cotidiano dos brasileiros.
(Diário do Nordeste

China pede negociações sobre Ucrânia e aceita importação de trigo da Rússia. (AP)

Presidente Putin convocou os principais acionistas e os líderes das maiores empresas da Rússia ao Kremlin para discutir a situação na Ucrânia. Ao que tudo indica, os russos estão se organizando para resistirem às sanções internacionais. (Bloomberg)

A história revisionista de Vladimir Putin da Rússia e da Ucrânia. (The New Yorker)

Uefa faz reunião extraordinária após Rússia iniciar ataques na Ucrânia. (Yahoo Esportes)

Brasileiros que atuam na Ucrânia gravam vídeo após ataque russo: “Estamos presos em Kiev”. (Yahoo Esportes)

Veja fotos e vídeos de ataques russos à Ucrânia. (Poder360)

Entenda a guerra com os podcasts

As faces do conflito entre Rússia e Ucrânia – Estadão Notícias (23/02/2022). O conflito envolvendo Rússia e Ucrânia se intensificou, após o presidente Vladimir Putin reconhecer as duas regiões separatistas de Luhansk e Donetsk, como independentes. Além disso, o país despachou forças de paz russas para duas regiões separatistas. Segundo os Estados Unidos, já são cerca de 190 mil soldados  no local. O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, acusou a Rússia de “violação da soberania e integridade territorial” de seu país. A reação dos países do Ocidente foi imediata. As principais potências do mundo condenaram o reconhecimento e disseram que a medida seria ilegal e acabaria com as negociações de paz de longa data. A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que o presidente Joe Biden vai proibir novos investimentos, comércio e financiamento dos EUA nas regiões separatistas. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que o ato é “uma violação flagrante do direito internacional, da integridade territorial da Ucrânia e dos acordos de Minsk” e que o bloco e seus parceiros vão “reagir com firmeza. A crise já tem afetado também os mercados econômicos, e as bolsas de valores mundiais estão sentindo o duro golpe do iminente conflito. (Texto – Estadão Notícias)
Rússia x Ucrânia: vai ter guerra? – Mamilos (21/02/2022). Mamileiros e Mamiletes, se vocês assistiram aos jornais nos últimos dias, podem ter ficado com aquela sensação estranha de que anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar. Afinal, ao que tudo indica, a Rússia pode avançar com suas tropas em território ucraniano a qualquer momento. Por outro lado, a OTAN, Organização dos Países do Norte, oferece disposição a resistir aos desmandos do presidente russo, Vladimir Putin, indicando que o conflito pode ter a ver com muito mais coisas do que o território Ucraniano, que se tornou palco de um quiproquó geopolítico com cheiro, jeito e indícios de guerra. No meio desse caldeirão… o presidente do Brasil resolve fazer de Moscou e um encontro com Putin sua primeira parada de uma rápida viagem à Europa. Mas afinal, o que está acontecendo na Ucrânia – e por que, de repente, isso pareceu se tornar tão importante? E por que nosso presidente, logo agora, resolveu reforçar laços com Putin? Qual o papel de cada peça nesse tabuleiro de xadrez do velho continente? Como as angústias de vocês são as mesmas que as nossas, convocamos nossos especialistas de bolso, Fernanda Magnotta e Oliver Stuenkel, para fazer a pergunta de um bilhão de dólares: vai ter guerra. (Texto – Mamilos)
Conflito na Ucrânia e o interesse geopolítico – O mundo em meia hora. (29/01/2022). Carolina Morand e os comentaristas Guga Chacra e Ariel Palácios fazem uma análise dos assuntos internacionais em destaque ao longo da semana. Um dos destaque é a crise envolvendo a Ucrânia. Guga Chacra explica que Putin deixa claro insatisfação com avanço da Otan em direção a Rússia. Ele teme esse avanço porque ele vê o mundo dividido em zonas de influência. ‘Putin tem uma visão realista da política internacional, de esferas de poder das grandes potências’. Ariel Palacios diz que é ‘um cenário extremamente complexo’. (Texto – O mundo em meia hora)
Rússia e Ucrânia – História em meia hora (26/01/2022). Será que agora rola a tal da Terceira Guerra Mundial? Separe trinta minutos do seu dia e aprenda com o professor Vítor Soares (@profvitorsoares) sobre a tensa disputa entre a Rússia e a Ucrânia pela Crimeia.

#GráficoDaGuerra

#ChargeDaGuerra

Charge publicada pelo perfil oficial da Ucrânia no Twitter que comparou o presidente russo,
Vladimir Putin, ao líder da Alemanha nazista, Adolf Hitler.

Os jornais brasileiros