#122 – Tempos de guerra!

Semana complicadíssima no cenário internacional com o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Na semana passada, enviei algumas news especiais sobre este conflito. Se você não eu, sugiro que faça isso. 

Obviamente que tem muita coisa envolvida nesse conflito e nem vou entrar em tantos detalhes. Mas o fato é que ninguém é santo – mesmo que uma invasão militar a um país soberano não se justifique.

O presidente ucraniano é fruto das mobilizações populares de 2014 capitaneadas por movimentos nacionalistas anti-Rússia com um forte viés neonazista de extrema-direita. Vale a pesquisa sobre o Batalhão Azov. A revista Galileu falou sobre aqui e o Brasil de Fato, em maio de 2021, lembrou de como os EUA usam o neonazismo ucraniano para isolar os russos. Leia aqui. Outro grupo neonazista, o Rusich Battalion, estaria retornando para a Ucrânia para lutar na guerra. As infos estão aqui no The Daily Beast.

Volodymyr Zelensky era um comendiante no estilo de Danilo Gentili que fazia piada contra os políticos e tinha uma pega bem anti-política. Sugiro essa reportagem do Fantástico para entender um pouco da sua vida.

Ninguém sabe direito o que vai acontecer. Se a Rússia quisesse mesmo, já tinha destruída toda a Ucrânia. Acho que Putin tá com o pé no freio por algum motivo específico.

Sobre o Brasil, Bolsonaro continua tentando não desagradar Putin, ao meu ver pelo simples fato de que ele precisa da tecnologia russa para as eleições de 2022, as mesmas usadas por Trump nos EUA.

🇨🇴 Colômbia descriminaliza aborto nas primeiras 24 semanas de gestação. (Marie Claire)

🇵🇪 A subcomissão parlamentar de Acusações Constitucionais aprovou uma investigação contra o presidente do Peru, Pedro Castillo, pelo suposto crime de traição à pátria devido a suas declarações de dar à Bolívia uma saída para o mar. (La Republica)

🇦🇷 Nas Relações Exteriores, qual Argentina que vale? (Clarín)

🇸🇻 Corte Suprema de Justiça de El Salvador ordena a inclusão da identidade de gênero na Lei do Nome. (Al Haraca)

🇺🇸 Por que os liberais brancos são tão pessimistas em relação à política? (FiveThirtyEight)

🇨🇦 Militar ajuda mineradoras do Canadá a fechar contrato na Amazônia. (UOL)

🇫🇷 Na França, inspetores da Agência de Segurança de Medicamentos identificaram as práticas de Didier Raoult. A agência enumerou, em relatório preliminar, uma série de desvios, alguns dos quais passíveis de processo administrativo ou criminal. Raoult ficou conhecido por defender a ivermectina contra a Covid-19 – e foi um dos gurus dos políticos bolsonaristas. (Mediapart)

🇶🇦 Mexicana que denunciou abuso sexual no Qatar é condenada a 100 chicotadas e sete anos de prisão. (O Globo)

🇹🇭 Três jovens brasileiros são presos na Tailândia com mais de 15 quilos de cocaína. (CNN Brasil)

🇷🇺 Apartamento das fake news: veja como funcionava esquema russo. (UOL)

🇷🇺 ‘400 mercenários russos chegam à Kiev para matar Zelensky’, diz jornal. (UOL)

🇺🇦 Qual é o papel das províncias separatistas na crise da Ucrânia. (Nexo)

🇺🇦 A invasão à Ucrânia projeta uma nova ordem mundial. Quais serão suas consequências? (Carta Capital)

🇺🇦 Imigrantes negros relatam racismo ao tentar sair da Ucrânia. (Poder360)

🇧🇾 Belarus aprova referendo para retirar status “não nuclear” do país. (Metrópoles)

🇦🇫 Talibã pede que Rússia e Ucrânia resolvam crise de forma pacífica. (Globonews)

🇾🇪 Conselho de Segurança da ONU estende embargo de armas a todos os houthis do Iêmen. (Al Arabiya)
 🇹🇷 Turquia rejeitou pedidos de cidadania de alguns uigures que falaram abertamente sobre a detenção de suas famílias na China. O governo turco citou riscos que eles representam para a “segurança nacional” e a “ordem pública”. (Axios)

🇰🇷 Como a música, a TV e os filmes da Coreia do Sul foram preparados para o momento viral. (Los Angeles Times)

🇨🇳 Em programas de namoro na televisão, os idosos da China finalmente mostram seu lado sexy. (Sixth Tone)

🇹🇼 China invade espaço aéreo de Taiwan. Caças foram enviados para alertar as aeronaves chinesas e mísseis de defesa aérea foram implantados para “monitorar as atividades”, informou o Ministério da Defesa de Taiwan. (Exame)

Acompanhe a guerra

Alguns fotógrafos e fotógrafas que estão cobrindo a guerra entre a Ucrânia e a Rússia.

Gabriel Chaim
Yan Boechat
André Liohn
Aris Messinis
Lynsey Addario
Chris McGrath
Emilio Morenatti

#MandaDicas

AntiCast 512 – Psicodélicos. Neste programa, Giselle Camargo conversa com Marcelo Leite sobre a onda psicodélica. Marcelo é jornalista, especializado em jornalismo científico, é colunista da Folha e autor de alguns livros e o último, o Psiconautas, – Viagens com a Ciência Psicodélica Brasileira. Serão os psicodélicos a solução para as doenças mentais? Quão perto estamos de usar essas substâncias como tratamento? (Texto – AntiCast)
#62 – Não sou mais o Pedro. Pedro teve depressão desde a infância. Aos 25, fez um tratamento com eletroconvulsoterapia, técnica popularmente conhecida como eletrochoque. Os efeitos colaterais, em particular os danos à memória, foram violentos. Hoje, dois anos depois das sessões, ele sabe que não é mais o mesmo de antes. À partir do drama de Pedro, mergulhamos na história e nos usos da eletroconvulsoterapia. O que leva a debates sobre psiquiatria, saúde mental e sobre os avanços e retrocessos de um movimento que ficou conhecido como reforma psiquiátrica. (Texto – Rádio Escafandro)
A “Ucranização” da democracia. Com o Historiador Odilon Caldeira Neto, Professor de História Contemporânea na Universidade Federal de Juiz de Fora e especialista na análise de ideias, movimentos, partidos e lideranças da extrema direita. (Texto – Estado de Exceção)
Em 1963, Annie Ernaux, então uma estudante de 23 anos, engravida do namorado que acabara de conhecer. Sem poder contar com o apoio dele ou da própria família numa época em que o aborto era ilegal na França, ela vive praticamente sozinha o acontecimento que tenta destrinchar neste livro quarenta anos depois, quando já é uma das principais escritoras de seu país. Com a ajuda de entradas de seu diário e de memórias há muito guardadas, Ernaux reconstrói seu périplo solitário para realizar um aborto clandestino. Ao refletir sobre a onipresença da lei e seu imperativo sobre o corpo feminino, Ernaux nos apresenta mais uma face da mescla indissociável do íntimo e do coletivo tão característica de todo o seu percurso literário. Quando por fim encontra uma “fazedora de anjos” disposta a realizar o serviço, a jovem acaba na ala de emergência de um hospital. Anos se passam sem que ela tenha coragem de revisitar o episódio. Em sua relação radical com a escrita, porém, Ernaux encontra o caminho para falar publicamente de seu aborto e fazer da literatura uma profissão de fé, que comove pela honestidade cortante: “o verdadeiro objetivo da minha vida talvez seja apenas este: que meu corpo, minhas sensações e meus pensamentos se tornem escrita, isto é, algo inteligível e geral, minha existência completamente dissolvida na cabeça e na vida dos outros”. (Texto – Fosforo Editora)

Leituras complementares

Flávio Bolsonaro mobilizou Receita contra caso da ‘rachadinha’, mostram documentos inéditos. (Folha de S.Paulo)

A data decisiva na negociação para Alckmin ser vice de Lula. Ex-governador se prepara para definir destino político a tempo de permitir que aliados o acompanhem em seu novo partido. (Veja)

Encontro de Bolsonaro com integrantes do agronegócio gera racha no setor. (UOL)

Guerra na Ucrânia vira munição contra Bolsonaro e Lula e mobiliza presidenciáveis. (Folha de S.Paulo)

Ignorando Ucrânia, Damares usa tribuna da ONU para fazer campanha eleitoral. (UOL)

Brasil condena ataque russo, mas também critica sanções. (Poder360)

Saída de ministros que serão candidatos deve provocar o maior esvaziamento do governo em 25 anos. (O Estado de S. Paulo

Plataformas não querem comprometer lucro para combater fake news, diz pesquisador. (Folha de S.Paulo)

Criptomoedas financiam a extrema-direita pelo mundo e podem abastecer campanhas de desinformação. (Carta Capital)

MPF pede condenação de Aécio Neves por corrupção passiva. Caso envolve suposto recebimento de R$ 2 milhões em propina de Joesley Batista, ex-presidente da J&F. (Poder360)

“Herdeiros imperiais” ganham R$ 100 mil/mês para gerenciar laudêmio. Diretores da empresa que administra a “taxa do príncipe” em Petrópolis recebem R$ 100,9 mil, revelam documentos. (Metrópoles)

Gestão da ‘taxa do príncipe’ em Petrópolis racha família imperial e briga chega à Justiça. (Folha de S.Paulo)

Chuvas no RJ: Contrato de R$ 8,5 milhões tem indícios de direcionamento. (UOL)

Truth Social: o que é a nova rede social de Donald Trump, banido do Twitter. (BBC Brasil)

Tirar todas as crianças da pobreza custaria R$ 80 bi/ano. (UOL)

Instituições financeiras investiram R$ 270 bilhões em mineradoras com interesses em terras indígenas na Amazônia. (Observatório da Mineração)

Governo demora 8 meses para começar vacinação de adolescentes em terra indígena na Amazônia. (Repórter Brasil)

Cooperativa de garimpeiros ligada a senador entra na mira da PF por exploração ilegal de ouro. (Carta Capital)

Mudanças climáticas: novo relatório do IPCC adverte sobre impactos ‘irreversíveis’.
(BBC Brasil)

Como é a relação do brasileiro com dinheiro? Nova pesquisa traz dados, insights e perfis de comportamento. (Think With Google)

“Escrevo para mostrar para outras pessoas trans que há outro caminho”. Autor “Transresistência”, o jornalista Caê Vasconcelos reune histórias de resistência de pessoas trans em diferentes setores do mercado de trabalho. (Gama)

Vendido a R$ 6, carrinho de supermercado vira item de resistência nas ruas. (TAB UOL)

‘Fiscal de fidelidade’ cobra pouco, já testou 4 mil e serviço tem fila. (UOL)

Fartos do Google, os teóricos da conspiração e influenciadores conservadores estão indo para o DuckDuckGo. (The New York Times)

Culture Rising: Relatório de tendências do Facebook de 2022. (Facebook Business)

Perdeu um parente para a extrema-direita? Aprenda a resgatá-lo. Diretor da ONG Life After Hate explica como funciona a desconversão de neonazis, supremacistas brancos e outros extremistas. (The Intercept Brasil)

Nada que seja tóxico pode ser bom. Fico preocupada quando alguém tenta suprimir as emoções negativas de uma outra pessoa antes mesmo de escutá-la ou de dar a devida acolhida. (Nexo)

Como criar um podcast: processos e dicas. (Gama)

#PrintsBolsonaristas

Tem um Twitter que eu amo que se chama @printsminions. Nada mais é do que uma curadoria de prints ditos pelos bolsonaristas em seus grupos de Telegram. Gosto muito de ver para sair da minha bolha e perceber o quão alucinada as pessoas são e estão. Acho importante a gente ter essa ideia do que está acontecendo por ai.

#GráficoDaSemana

#MapaDaSemana

#VergonhasDaSemana