#123 – Mamãe, Falei merda!

A discussão dos últimos dias centrou no absurdo dito pelo deputado Arthur do Val sobre as refugiadas ucranianas. Não precisa nem dizer o quão nojento e asqueroso foi a fala do parlamentar, mas confesso: não me choco nem um pouco. Eu acompanhei de perto o crescimento do MBL: acompanhei o grupo em diversas manifestações contra a então presidente Dilma Rousseff – e, desde aquela época, essa galera já usava termos jocosos, sexistas, sexuais e preconceituosos contra a ex-presidente. 

De lá para cá, basta ver com quem eles se uniram em 2018: o atual presidente Bolsonaro, um pilar de xingamentos contra as mulheres desde que ele se conhece por gente. Vale relembrar ele falando que a deputada Maria do Rosário não merecia ser estuprada e a homenagem ao coronel Ustra, torturador da ditadura e que usava de artimanhas sexuais contra as mulheres presas.

A fala do deputado não choca porque a sociedade brasileira é isso ai mesmo que ele foi: escrota, preconceituosa, machista, sexista e por ai vai. Somos tão assim que escolhemos um presidente desses. Teve muita gente que falou merda e foi eleito por um monte de gente que diz merda todos os dias.

🇨🇴 Corte da Colômbia ordena a inclusão de gênero não-binário em documentos. (TeleSUR)

🇧🇴 Bolívia justifica sua abstenção na votação para aprovar a resolução que condenaria a invasão da Ucrânia na Assembleia Geral da ONU dizendo que o documento pode colocar “mais lenha na fogueira”. (Europapress)

🇸🇻 El Salvador se abstém de apoiar resolução da ONU sobre a Ucrânia.
(Bloomberg Línea)

🇨🇷 Costa Rica legaliza a maconha medicinal e a produção do cânhamo para uso industrial. (El Mundo)

🇨🇺 Na ONU, Cuba defende a Rússia, fala em hipocrisia e ‘padrão duplo’ da OTAN. (UOL)

🇦🇷 Seis homens são presos por estupro coletivo na Argentina. Mulher de 20 anos foi abusada dentro do carro durante o dia em um bairro turístico de Buenos Aires. (El País)

🇵🇪 No Peru, começa o processo para analisar os casos de esterilização forçada durante o governo de Alberto Fujimori. (Swiss Info)

🇨🇱 Acusado de corrupção, chefe do Exército do Chile renuncia. General Ricardo Martínez será interrogado em investigação sobre fraude no Exército, uma das quais se refere ao suposto uso indevido de passagens aéreas em viagens nacionais e internacionais. (Valor)

🇲🇽 Briga generaliza entre torcedores do Querétaro y Atlas deixam dezenas de feridos no México. (El País)

🇺🇸 Comboio de caminhoneiros continua andando pela costa oeste norte-americanas. Os manifestantes são contrários as medidas da pandemia. (The Washington Post)

🇺🇸 Os republicanos sabem o que é o comunismo? Alguns republicanos passaram a chamar os democratas de “comunistas”. (NY Mag)

🇺🇦 A Ucrânia anunciou que lançará NFTs para financiar suas forças armadas contra a invasão russa. Mykhailo Fedorov, vice-primeiro-ministro ucraniano, disse no Twitter que o governo deve emitir os tokens não fungíveis em breve para ajudar a pagar seus militares. (The Guardian)

🇺🇦 Lança-míssil vira símbolo de resistência na Ucrânia. (Poder360)

🇺🇦 Conflito Ucrânia e Rússia: o fim do ‘fim da história’. (Nexo)

🇺🇦 A guerra na Ucrânia quando se tem 10 anos. (El País)

🇺🇦 Entre bombas, farsas e dancinhas, guerra na Ucrânia viraliza no TikTok. (Metrópoles)

🇷🇺  Multinacionais estão abandonando negócios na Rússia. (Jornal Nacional)

🇷🇺 Leia as sanções financeiras aplicadas à Rússia. (Poder360)

🇷🇺 Repressão da Rússia à liberdade de imprensa. (Axios)

🇪🇸 Na Espanha, isolar o Vox é uma missão impossível. A estratégia de encurralar a extrema direita, comum em grandes países europeus, dificilmente encontra eco no país. (El País)

🇩🇪 Negacionista do Holocausto, influenciador de extrema direita que estava no Brasil volta à Alemanha. (O Globo)

🇵🇱 Prisão de jornalistas evidenciam o conflito do governo polonês com a imprensa (Público)

#MandaDicas

Terráqueos é o segundo romance da autora japonesa Sayaka Murata publicado pela Estação Liberdade. Murata questiona e confronta o conceito de normalidade da sociedade atual e nos deixa com uma simples pergunta: Até onde você iria para ser você mesmo? A protagonista e narradora é Natsuki. Ela poderia passar por uma criança comum, com devaneios infantis, como a crença em dons mágicos, seres extraterrestres e bruxas. Mas, conhecendo sua história, questionamo-nos se esses não são, na verdade, mecanismos de fuga que a menina desenvolveu para lidar com uma sociedade opressora — e, mais especificamente, com traumas desencadeados por abusos de diversas ordens. Seu estranho namoro com o primo Yuu, seus “poderes mágicos” e seu amigo de pelúcia Piyut são as únicas coisas que mantêm Natsuki — em suas próprias palavras — sobrevivendo, já que viver lhe parecia algo muito fora de alcance. “Até quando eu teria de sobreviver? Será que algum dia poderia apenas viver e não sobreviver?” (Texto – Editora Liberdade)
Desde o começo do conflito da Rússia com a Ucrânia, muito se tem debatido sobre grupos neonazistas armados fazerem parte do governo ucraniano, como o Batalhão Azov e o Pravyi Sektor. Mas o que se tem visto na grande mídia é “como pode o governo da Ucrânia ser nazista se o presidente é judeu?” e outras pessoas apontando que existem grupos neonazistas do lado da Rússia também, como a empresa de segurança privada Wagner Group. Mas afinal, como isso começou? O que está acontecendo nessas regiões? Como surgiram, quem financia e quem são esses grupos? O programa dessa semana vai responder essas perguntas, além de falar sobre o Massacre de Odessa, ou, o Massacre da Casa dos Sindicatos, onde 39 comunistas morreram carbonizados dentro do prédio do sindicato da cidade de Odessa, incendiado pelos neonazistas do grupo Pravyi Sektor, como os nazistas realizaram em diversas vilas na Bielorrússia durante a segunda guerra. Para falar sobre isso, conversamos com os especialistas em extrema-direita, Frank de Paula, que também é historiador formado pela University College Dublin, e com Leticia Oliveira, jornalista e editora da revista El Coyote. (Texto – Rádio Metamorfose)
O que a Rússia quer na Ucrânia? No final do ano, a Rússia posicionou 100 mil soldados na fronteira com a Ucrânia. O país teme uma invasão. Europa e Estados Unidos ameaçam sanções e a temperatura está aumentando. Vamos entender um pouquinho mais dessa panela de pressão que pode ter consequências pro mundo todo? (Texto – Gabriela Prioli)
A ética da imprensa em tempos de guerra. Um ditado popular diz que “o primeiro derrotado numa guerra é a verdade”. E a imprensa, que deveria defender e promover a verdade a todo custo, muito rapidamente parece ter sido tragada para uma narrativa que classifica a guerra entre vilões ou mocinhos, repercute ideias sem refletir sobre o que significam verdadeiramente e até a compara com histórias da Marvel e da DC. E a gente se pergunta: não era pra ser diferente? No Braincast 444, Carlos Merigo recebe Alexandre Maron, Ana Freitas, Oga Mendonça e Fausto Salvatori, da Ponte Jornalismo, para analisar o trabalho da imprensa – tanto no Brasil quanto no exterior – em meio à cobertura de guerra, e as consequências que uma cobertura irresponsável podem trazer para a sociedade e a comunicação. (Texto – Braincast)
Nessa nova temporada, o Pauta Pública volta com várias novidades. Agora, Andrea Dip apresenta o programa ao lado de Clarissa Levy, do podcast Amazônia Sem Lei. Além disso, em ano de uma das eleições mais importantes para a história do país, o Pauta receberá não somente jornalistas, mas convidados de diversas áreas que trazem trabalhos e perspectivas que nos ajudam a entender melhor esse 2022. Neste episódio 31, conversamos com o professor e filósofo Vladimir Safatle, que traz um panorama dos desafios enfrentados no campo progressista e como tudo isso pode se desenrolar a partir de um intrincado cenário político.
(Texto – Pauta Pública | Agência Pública)

Leituras complementares

Carta para Arthur do Val: a condição feminina na guerra e na paz. (UOL)

Mamãe Falei retira pré-candidatura ao governo de SP. (Poder360)

Advogada Tânia Mandarino conta o que ‘Mamãe Falei’ fez a estudantes secundaristas de Curitiba. (VioMundo)

Ronnie Lessa confirma a VEJA ter sido ajudado por Bolsonaro em 2009. (Veja)

61% acham que guerra na Europa vai afetar vida no Brasil. (Poder360)

Polícia Federal começa a investigar declaração de Bolsonaro que associa vacinas ao risco de contrair Aids. (g1)

Alexandre de Moraes dá 5 dias para Planalto explicar ida de Carlos Bolsonaro à Rússia. (UOL)

Para não prejudicar visita de Bolsonaro a Putin, Planalto vetou alerta a brasileiros na Ucrânia. (O Globo)

Petistas chamam Alckmin de ‘vice golpista e neoliberal’ e convocam debate sobre Vice-Presidência. (Yahoo Brasil)

Planalto e agro determinam acenos à Rússia em manifestações sobre guerra na Ucrânia. (Folha de S.Paulo)
Janela partidária deve tornar partido de Bolsonaro o maior da Câmara; entenda as movimentações. (Yahoo Brasil)

‘Na base militar’: brasileiro revela início de treinamento com ucranianos. (UOL)
 Balança comercial tem segundo maior superávit para meses de fevereiro.
(Agência Brasil)

Brasil cai em ranking de maiores economias e agora ocupa 13ª posição. (IG)

Inadimplência tem o maior índice em 12 anos; endividamento atinge 76,6% das famílias. (g1)
 Sem apoio federal, projetos de formação de leitores resistem às próprias custas. Pesquisa O Brasil Que Lê fez um mapeamento das iniciativas em andamento no Brasil e pesquisadores ressaltam necessidade de uma política pública para a área. (Terra) Pandemia x endemia: governo avalia novo status para Covid, mas o pior já passou? Março será o começo do fim?. (g1)

Enquanto foliões curtem Carnaval, jovens são mortos na Gamboa em Salvador (UOL)
 Atlas da Notícia identifica redução de desertos e liderança do jornalismo online no Brasil. (Observatório da Imprensa)

Luciana Maria Silva: Ela criou um exame que dá mais chances na luta contra o câncer de ovário. (AzMina)

“A Força Delas”, projeto fotográfico que retrata mais de 90 mulheres indígenas de 55 povos de todas as regiões do país. (Amazônia Real)
 No Twitter e no Instagram, cobrir guerra em tempo real vira moeda de engajamento. (Núcleo Jornalismo)

A rede social da vez: TikTok ultrapassa marca de 100 milhões de usuários na América Latina. (Latin America Business Stories)

Invasão Amarela: o futuro do Mercado Livre na América Latina. (Exame)

Somente a descolonização total pode salvar o mundo. (Jacobin)

#CapasDaSemana

#GráficoDaSemana

#MapaDaSemana

“Solidariedade a todos os iemenitas que assistem o mundo se preocupando profundamente com a Ucrânia, mas esses países vendem bilhões de armas para outros que bombardeiam o Iêmen há anos” (via @nyeusi_waasi)

#ChargeDaSemana

Charge – Arnaldo Branco

#ReflexãoDaSemana

#ProtestoDaSemana

Na Copa do Mundo de Ginástica no Catar, o atleta russo Ivan Kuliak, bronze nas barras paralelas, subiu ao pódio com um Z estampado no peito, insígnia que simboliza apoio às tropas de Vladimir Putin na Ucrânia. Ao lado dele, estava o vencedor da prova, o ucraniano Kovtun Illia.
(via @copaalemdacopa)