#125 – Se gritar pega Centrão, não fica um meu irmão!

Talvez a grande movimentação política dessa semana foi a filiação em massa de ícones do bolsonarismo ao PL, um dos partidos mais ligados ao Centrão – se não o maior. Esse fato é importante por dois pontos principais.

O primeiro é que vamos precisar entender como a ala mais radical do bolsonarismo vai lidar ou já está lidando com isso. As milícias digitais, que já vinham achando o presidente meio frouxo (nas falas deles mesmo), podem achar que ele está cada vez mais moderado e abandoná-lo. Será? Se partirmos desse princípio, podemos pensar que seria possível um candidato bolsoarista sem ser Bolsonaro? Talvez. 

Dentro dessa lógica, vem o segundo ponto: Bolsonaro está cada vez mais tragado pelo centrão fisiológico e vai fazer de tudo para se reeleger – e acredito que de tudo mesmo. Ele vai abrir o cofre para os partidos da sua base, por exemplo. Ele vai lotear, ainda mais, o governo. E ai vem um ponto bem importante e que já venho falando: Bolsonaro vai jogar pesado na comunicação de sua campanha – principalmente nas redes sociais onde a batalha vai ser sangrenta e pior do que em 2018. Volto a lembrar da visita recente de Carluxo a Rússia, país que ajudou Trump na última eleição. Coincidência? Duvido. 

Vale lembrar das duras críticas dos bolsonaristas contra o Centrão. Devem ter esquecido – ou simplesmente aderiram por puro interesse. Nunca devemos esquecer da fala história do General Heleno: “Se gritar pega Centrão, não falta um meu irmão“.

Importante citarmos ainda o novo slogan dessa turma: “Lealdade acima de tudo” – até mesmo em cima das mais de 600 mil pessoas mortas pela omissão do governo bolsonarista.

🇺🇸 A opinião dos norte-americanos sobre a guerra Rússia-Ucrânia. (Morning Consult)

🇦🇷 Senado argentino converter em lei o acordo com o FMI. (Clarín)

🇦🇷  Javier Milei e sua candidatura presidencial em 2023. (El Economista)

🇨🇴 Esquerda amplia sua vitória nas eleições do Congresso colombiano. (El País)

🇨🇺 Cuba condena mais de 100 pessoas entre 4 e 30 anos de prisão por violência durante as manifestações do ano passado. (Reuters)

🇸🇻 El Salvador reconhece, em documento oficial, a identidade de uma mulher trans. (Infobae)

🇬🇹 Congresso da Guatemala arquiva lei que proibia o casamento de pessoas do mesmo sexo e aumentava as penas do aborto. (BBC)

🇭🇳 Rosa Bonilla, ex-primeira dama de Honduras, é condenada por corrupção. (AP)

🇵🇪 O caso Pedro Castillo no Peru e os limites dos governos que não se apoiam no povo. (Brasil de Fato)

🇵🇪 Os argumentos por trás da decisão do Tribunal Constitucional que ordenaram a libertação de Alberto Fujimori. (Ojo Publico)

🇪🇨 Equador: presidente veta parcialmente lei do aborto. (France24)

🇲🇽 Juan Gerado Treviño Chávez, conhecido com “El Huevo”, foi extraditado para os EUA. Ele é líder do Cartel de Noroeste e um dos maiores narcotraficantes do México. (BBC)

🇭🇹 Primeiro-ministro do Haiti acredita que há grande chances dele morrer enquanto estiver no cargo. (Diario Libre)

🇵🇸 Exército de Israel mata dois palestinos, incluindo adolescente, na Cisjordânia ocupada. (Monitor do Oriente Médio)

🇦🇫 O último ministro das Finanças do Afeganistão agora é Uber na capital dos EUA.
(The Washington Post)

🇰🇵 Teste de suposto míssil da Coreia do Norte falha após lançamento. (UOL)
 🇨🇳 Como a piora da covid na China mina ainda mais a economia global. Com estratégia de tolerância zero ao vírus, governo confina quase 30 milhões de pessoas e fecha fábricas. Situação gera temores sobre cadeias globais, ao mesmo tempo que alivia petróleo. (Nexo)

🇨🇳 A China está fazendo novos bilionários muito mais rápido do que os EUA. (Axios)

🇩🇪 Alemanha nega a entrada de nazista espanhola. (El País)

🇻🇦 Papa Francisco apresento uma reforma histórica que permitirá que qualquer católico batizado, incluindo mulheres, encabece a maioria dos departamentos do Vaticano. (Reuters)

🇷🇸  Torcida sérvia cita golpe militar no Brasil em faixas de apelo pela paz. (UOL)

🇺🇦 Como as crianças ucranianas entendem a guerra. (The Washington Post)

🇺🇦 Arsenal de livros. Despachos do front cultural em Kiev: a editora ucraniana Anetta Antonenko resiste com seus livros, seus gatos, sua língua — e sua arma.
(Quatro Cinco Um)

🇺🇦 Zelenskyy diz que cerco a Mariupol envolveu crimes de guerra. (AP)

🇺🇦 Ucrânia suspende 11 partidos apontados como pró-Rússia. (UOL)

🇷🇺 “É a coisa certa a fazer”. Os 300 mil hackers voluntários que estão se unindo para combater a Rússia. (The Guardian)

🇷🇺 Jornalista brasileira: Se os russos tomarem Kiev, não sei se poderemos sair. (UOL)

🇷🇺 Rússia anuncia que usou de novo míssil hipersônico contra a Ucrânia. (UOL)

#MandaDicas

Neste programa, Giselle Camargo conversa com Murilo Ramos sobre a necessidade de regulação da mídia no Brasil. Murilo, que é professor emérito da UNB estuda o tema há décadas e participou da Confederação Nacional de Comunicação. Muito mais que um debate da esquerda, regular a mídia no Brasil é criar novas oportunidades e pluralizar narrativas ainda tão consolidadas.
(Texto – AntiCast)
Desde o ano passado, a internet foi conquistada (ou melhor, “amassada”) por um novo ídolo. Na nova era dos streamers, um canal de lives furou a bolha da Twitch como nunca antes e se espalhou pelo Brasil como uma febre. Com seu jeito único, seu carisma peculiar e sua habilidade de criar bordões que dominam o Twitter, o carioca Casimiro Miguel já conquistou milhões de seguidores em todas as redes, atraiu as gigantes do entretenimento e se tornou uma figura importante nos debates da rede – desde as chuvas em Petrópolis e a guerra na Ucrânia, até live sobre a nova série de Neymar, com participação do camisa 10 da seleção. No Braincast 446, Carlos Merigo, Beatriz Fiorotto, Marko Mello e Luiz Hygino metem essa e conversam sobre o sucesso de Casimito. Suas lives, estilo, canal de cortes e impacto numa indústria sedenta por novidades. Programa hoje tá muito forte, tá? (Texto – Braincast)
T1E1 – Ricardo Teixeira: a ascensão e a queda do cartola no comando da CBF. No episódio de estreia do podcast Futebol Bandido, um caso emblemático de como um cartola sai do nada e ascende ao poder no futebol brasileiro: a história de Ricardo Teixeira.
(Texto – UOL Esporte Histórias)
“Agora que as testemunhas já morreram, tanto as vítimas como os algozes, resta a lembrança de suas palavras e de seu rosto, os monumentos e os livros. Eu quis tecer os fios da grande história com os da pequena, até que emergisse um quadro do mundo de outrora, com suas porções de sombra e de luz, com suas vidas destruídas pela megalomania dos homens, com a vida de Lydia e Karl Schwarz, que tiveram a infelicidade de nascer no limiar de um século maldito.” Na descoberta das conciliações de seu avô alemão com o regime nazista, Géraldine Schwarz revela a responsabilidade dos Mitläufer em uma ditadura: aqueles, tão numerosos, que “se deixam levar pela corrente”. Acompanhando três gerações de sua família, ela reconstitui o trabalho de memória empreendido na Alemanha e que é a força de sua democracia. Ao compará-lo com as lacunas memoriais na França e em outras partes da Europa, ela suscita uma questão crucial: fazer dos cidadãos vítimas da História em vez de responsabilizá-los não teria aberto caminho para o populismo e fragilizado as nossas democracias? (Texto – Âyiné)

Leituras complementares

Comandante do Exército deve assumir Defesa; Braga Netto será vice. (UOL)

Viagem de Carlos Bolsonaro à Rússia desperta temor no TSE. (Folha de S.Paulo)

Recuperação de Bolsonaro perde ímpeto. Presidente estaciona e vantagem para Lula no 1º turno fica em 10 pontos; Ciro e Moro empatam com 7%. (Poder360)

“O risco de Bolsonaro melar a eleição é real”, diz Flávio Dino. (UOL)

MDB, PSDB e União Brasil excluíram Moro de reunião de propósito. (Metrópoles)

Fim da obrigatoriedade das máscaras aumenta riscos da Covid-19 para população mais velha. (O Globo)

Fundo de segurança destinou apenas 0,01% ao combate a violência contra a mulher.
(O Estado de S. Paulo)

Governo Bolsonaro interferiu na Anatel para autorizar empresa de Elon Musk no Brasil. Documentos expõem pressão da pasta de Fábio Faria na Anatel em favor de satélites do “homem mais rico do mundo”. (Brasil de Fato)Conteúdo neonazista avança em canais do Telegram, aponta pesquisa. Grupos e canais ainda divulgam desinformação sobre vacinas e urnas eletrônicas. (Folha de S.Paulo)

Grupos no Telegram violam leis e abrigam negociações de drogas, armas, pornografia infantil e outros crimes. (Fantástico)
Quem são os oligarcas russos com negócios no Brasil? (BBC Brasil)

‘Fui violentado por vários homens ao mesmo tempo’: o drama dos homens estuprados durante guerras. (UOL)

Como falar de guerra? Até que ponto o excesso de imagens e publicações colabora para elucidar o conflito entre Rússia e Ucrânia? Gama ouviu especialistas em comunicação, fotógrafos de guerra e até youtubers para entender a lógica por trás da cobertura de guerra em tempos de redes sociais. (Gama)

Páginas de entretenimento impulsionam imagens fora de contexto sobre guerra na Ucrânia no Facebook. (Aos Fatos)

Putin está vencendo a guerra da comunicação porque a invasão é a mensagem, diz especialista. O antropólogo e estrategista político Renato Pereira avalia que esta guerra na Ucrânia opõe os antimodernos à concepção ocidental de modernidade. “A mensagem é ‘eu não reconheço a ordem ocidental'”, analisa. (g1)

Astrofísica brasileira lidera primeira simulação de um buraco negro com uso de inteligência artificial. Uso pioneiro de métodos computacionais automatizados para simular buracos negros acelera as pesquisas sobre o fenômeno e é fundamental devido à alta complexidade dos dados astronômicos. (Jornal da USP)

Café com pão na chapa tem variação de preço de até 100% e chega a custar R$ 16. (g1)

Brasil tem o 16º maior custo com gasolina sobre o salário. (Poder360)

Aumento da violência no campo transforma crianças e adolescentes em alvo.
(Repórter Brasil)

Sangue na pracinha. Facções criminosas ganham braços em cidades pequenas do Norte e Nordeste — onde a taxa de mortes violentas intencionais já é mais que o dobro da registrada no Brasil. (revista piauí)

Presidente do Sindicato dos Delegados de SP ataca atletas trans. Delegada Raquel Gallinati afirma que mulheres trans promovem a ‘exclusão de mulheres do esporte feminino’. Declaração é ‘cissexista e transfóbica’, segundo especialistas. No Brasil, transfobia é crime desde 2019. (Ponte Jornalismo)

Recuperação de jovens em conflito com a lei é mais eficaz e barata quando embasada pela ciência. (Jornal da USP)

Apartheid e racismo nas cidades da soja. Cidades do Mato Grosso cortadas por rodovia que transporta soja e milho são marcadas segregação social. Os lados determinam cor de pele, origem geográfica e renda. (O Joio e o Trigo)

Agrotóxico causa mortes de araras-azuis no Pantanal. Os pesquisadores publicaram os resultados da análise na revista científica ‘Scientific Reports’, um braço da conceituada Nature. No artigo, cientistas confirmaram intoxicação por um tipo de pesticida. (g1)

Finlândia é o ‘país mais feliz do mundo’; Brasil na 39ª posição. (g1)

A cada 10 brasileiros que se endividaram com o cartão de crédito, 7 o utilizaram pra comprar comida. (revista piauí)

Francis Kéré se torna 1º arquiteto negro a vencer o Pritzker. (Nexo)

O TikTok está moldando nossa cultura? (YOUPIX)

Como o TikTok se tornou uma janela para a guerra. Aplicativo de vídeos curtos conquista bilhões de visualizações com cenas do confronto entre Rússia e Ucrânia. Modelo é criticado e é palco de disputa de narrativas. (Nexo)

Da roupa militar de Zelenski ao suéter de Macron: como a política lança a mensagem com as roupas. (El País)

O prêmio de R$ 1,5 milhão não é mais o principal atrativo do “Big Brother Brasil”. Em tempos de redes sociais e publicações patrocinadas — os famosos ‘publiposts’ —, a visibilidade, a relevância e a fama que os participantes podem conquistar dentro do reality show pesam mais na hora de aceitar um convite. (UOL)

#MapasDaSemana

A Antártica registrou um recorde de calor histórico na sexta-feira (18), os cientistas estão pasmos! “Este evento é completamente sem precedentes e superou nossas expectativas sobre o sistema climático da Antártida”, disse um especialista. A Antártida Oriental registrou na sexta-feira temperaturas 70 graus acima do normal para esta época do ano, aumentando a preocupação da comunidade científica.
As informações são do Washington Post

#PrintsBolsonaristas

Tem um Twitter que eu amo que se chama @printsminions. Nada mais é do que uma curadoria de prints ditos pelos bolsonaristas em seus grupos de Telegram. Gosto muito de ver para sair da minha bolha e perceber o quão alucinada as pessoas são e estão. Acho importante a gente ter essa ideia do que está acontecendo por ai.