#130 – O golpe tá aí!

Os barulhos dos tambores de um golpe voltaram a soar pelo país depois que o presidente liberou o deputado Daniel Silveira da pena imposta pelo STF de mais de oito anos de prisão. Os motivos: atentados contra a democracia. E foi justamente isso que o presidente fez ao conceder o perdão a seu amigo.

Muito foi falado e debatido sobre o assunto – e você pode ler mais no Leituras complementares mais abaixo. Quero deixar aqui apenas uma análise macro e rápida de tudo que está acontecendo.

Primeiro ponto é que, com essa medida, o presidente faz um aceno para a sua base mais radical e extremista: os bolsonaristas da extrema-direita. Bolsonaro não tem nenhum pudor em deixar os seus pelo caminho, mas, dessa vez, resolveu ajudar seu amigo deputado. O por que ele fez isso é uma grande questão. Vale lembrar que Daniel Silveira é um dos deputados mais votados do Rio de Janeiro, ex-policial militar e conhecido por quebrar a placada da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL). Próximo da milícia? Vai saber…

Segundo ponto é que Bolsonaro continua cutucando o STF – e isso precisa ser avaliado em duas frentes. A primeira é que ele mantém sua base raivosa ao seu lado; a segunda é que o presidente afasta possíveis eleitores mais do centro conservador que não admitem essas atitudes radicais do presidente. O Centrão que não deve ter gostado muito do perdão dado por Bolsonaro.

Um terceiro ponto é que o presidente abriu um grande precedente: qualquer bolsonarista pode inflamar um golpe e ser julgado para que Bolsonaro o libere. Qual o receio que sua base extremista vai ter de atacar as instituições e a democracia? Nenhum. Eles já fazem isso há anos e o presidente ainda apoia. O precedente é gigantesco e perigoso.

Por fim, o que mais se discute é se Bolsonaro fez isso com Silveira como um teste para caso ele venha a perder as eleições em outubro e tente algo contra o país. Claro que seria um golpe. Não duvido nada – mas também não cravo. As cartas estão na mesa e o presidente está louco para tentar algo fora das quatro linhas da Constituição.

🇦🇷 Argentina quer reatar as relações plenas com a Venezuela. (El País)

🇨🇱 O governo do presidente chileno Boric é o primeiro a chegar em 50% de desaprovação em suas primeiras semanas. O que está acontecendo? (La Tercera)

🇲🇽 O caso Debanhi revela uma nova onda de feminicídios no México. (El País)

🇪🇨 Equador pede extradição de ex-presidente Rafael Correa, que recebe asilo da Bélgica. (Folha de S.Paulo)

🇨🇴  Gustavo Petro consolida sua liderança e se condiciona a ser o próximo presidente da Colômbia. (Semana)

🇵🇪 67% do povo peruano desaprova o governo de Pedro Castillo. (La Republica)

🇵🇪  Presidente do Peru vai propor um projeto ao Congresso para a castração química de quem for condenado por estuprar crianças, mulheres e adolescentes. (DW)

🇭🇳 Honduras extradita o ex-presidente Hernández para os EUA, onde ele é acusado de narcotráfico. (g1)

🇺🇸 Governador da Florida testa o limite de seu estilo combativo em rivalidade com a Disney. (AP)

🇺🇸 Por que mais pessoas de cor estão comprando armas. (Axios)

🇺🇸  ‘É vida ou morte’: a crise de saúde mental entre os adolescentes norte-americanos. (The New York Times)

🇫🇷 Macron vence Le Pen e garante novo mandato na França. (g1)

🇸🇮 Eslovênia tem disputa acirrada em eleições legislativas consideradas ‘referendo sobre a democracia’. (O Estado de S. Paulo)

🇺🇦 Ucrânia está utilizando software de reconhecimento facial para escanear rostos de russos mortos e entrar em contato com as mães. (Washington Post)

🇷🇺 Rússia testa novo míssil com capacidade nuclear: ‘dará o que pensar aos que tentam ameaçar nosso país’, diz Putin. (O Globo)

🇳🇬 Explosão em refinaria ilegal de petróleo na Nigéria deixa mais de cem mortos.
(Folha de S.Paulo)

🇨🇳 Como a Covid-19 criou um congestionamento gigantesco no porto de Xangai que afeta o mundo inteiro. (BBC Brasil)

🇹🇱 Timor-Leste: Ramos-Horta e ‘Lu Olo’ enfrentam-se no 2º turno da eleição presidencial. (UOL)

#MandaDicas

#162: Fake news e plataformas digitais. Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com os jornalistas Bia Barbosa e Jonas Valente, autores, junto com a pesquisadora Helena Martins, do livro “Fake news: como as plataformas enfrentam a desinformação” realizado pelo Intervozes e lançado em 2021. A publicação traça um panorama da questão da desinformação e apresenta resultados de um estudo sobre como as principais plataformas digitais lidam com o problema das fake news no Brasil. Falamos sobre o conceito de fake news, a diferença das mentiras atualmente propagadas via redes sociais para a desinformação que era espalhada antes, o impacto nas eleições de 2018 e 2020 e a expectativa para a campanha presidencial deste ano, como Congresso e Judiciário vêm lidando com o tema, a responsabilidade das mídias tradicionais, as medidas adotadas por Whatsapp, Facebook, Instagram, Twitter e YouTube, os problemas de confiar a regulação exclusivamente às plataformas, as ações de combate às fake news defendidas pela sociedade civil e como as pessoas podem contribuir para enfrentar e não ser um veículo de distribuição da desinformação. (Texto – Guilhotina | Le Monde Diplomatique Brasil)
Hoje no Conversas com o Meio, Maurício Moura, presidente do instituto de pesquisas Ideia, vai explicar como é que está a eleição, por que apertou e por que será muito difícil até outubro.
(Texto – Meio)
Boletim do Fim do Mundo – o otimismo apocalíptico com Sidarta Ribeiro. O neurocientista e amigo do Estúdio Fluxo volta ao Boletim do Fim do Mundo para mais um conversa sobre coisa demais para resumir em uma descrição de vídeo. (Texto – Estúdio Fluxo)
Disney, QAnon e as eleições de 2024. Nesta Live eu vou comentar a situação do imbróglio envolvendo a Disney e o Governador da Florida Ron Desantis. O que isso tem a ver com teorias QAnnon e como este caso coloca em cheque a candidatura de Trump para 2024.
(Texto – Canal do Sorrilha)

Leituras complementares

Decreto de Bolsonaro teve aval de militares, que tentam retomar espaço conquistado pelo Centrão. (g1)

A graça de Bolsonaro. Ao perdoar os crimes de seu amigo Daniel Silveira, presidente fere princípio da impessoalidade e abusa do cargo para afrontar o STF. (revista piauí)

Ministros avaliam que perdão de Bolsonaro a Silveira visa ao enfrentamento com Supremo. (O Globo)

Oposição chama indulto de Bolsonaro de “golpe” e promete recorrer ao STF. (UOL)

Presidente do Clube Militar ataca ministros do STF: ‘togas não serviriam nem como pano de chão, pelo cheiro de podre que exalam’. (O Globo)

Assessores de Bolsonaro já falam em vitória no primeiro turno. Otimismo vem de crescimento de Jair Bolsonaro nos últimos meses e a consequente diminuição de sua distância para Lula. (Metrópoles)

Segundo mandato de Bolsonaro é o caminho para consolidação de autocracia no Brasil. Ditadores como Ortega e Orbán fortaleceram seu autoritarismo após a reeleição. Novo mandato de Bolsonaro seria aniquilação da democracia. (The Intercept Brasil)

Eduardo Bolsonaro xinga irmãos Weintraub por crítica a indulto a Silveira. (UOL)

Diferença entre Lula e Bolsonaro no segundo turno cai de 13% para 9%. (Exame)

Estratégia digital de Bolsonaro mira no eleitorado jovem. (Estado de Minas)

Impactos da crise inflacionária do Brasil na campanha de reeleição de Bolsonaro. (JOTA)

Forças Armadas ‘estão sendo orientadas a atacar e desacreditar’ o processo eleitoral, diz Barroso. (O Globo)

Arthur do Val renuncia ao cargo de deputado estadual após abertura de processo por suas frases sexistas. (g1)

Datena diz que Moro traiu e que faz ‘questão’ de derrotá-lo nas urnas; ex-juiz contra-ataca. (Folha de S.Paulo)

Lula ainda patina no Telegram, reduto digital de Bolsonaro. (UOL)

Eduardo Leite declara apoio à candidatura de Doria. (Poder360)

Na TV, Bolsonaro exaltará Brasil ‘sem pandemia, sem corrupção e com Deus no coração’. (O Globo)

FMI melhora perspectiva de crescimento do Brasil este ano, mas reduz para 2023. (CNN)

Mario Frias terá apoio de grupo pró-armas a que ofereceu verbas da Rouanet. (UOL)

OMS monitora ao menos 169 casos de hepatite aguda desconhecida; há relato de uma morte. (Terra)

Por que a violência policial explodiu na Bahia mesmo com 15 anos de PT no poder. (Ponte Jornalismo)

Mulheres trans e travestis encontram barreiras para denunciar violência doméstica.
(Folha de S.Paulo)

Era Bolsonaro tem maior nº de conflitos por terra desde 1985. (UOL)

Txai Suruí: “Não estão queimando só a Amazônia, estão queimando as pessoas de lá também”. Uma das principais liderança jovens de Rondônia, Txai falou sobre a mobilização da juventude indígena no Estado e a importância das eleições de 2022 para preservar a floresta. (Agência Pública)

‘Quase morri por atraso em diagnóstico de malária’: como doença continua fazendo vítimas em todo Brasil. (UOL)

Filtros de selfie que afinam nariz e rosto incentivam racismo e cirurgias plásticas entre jovens. (The Intercept Brasil)

‘Fuhrer das Drogas’: o desconhecido vício de Hitler em anfetaminas e outros narcóticos. (g1)

Como gerenciar a mistura inevitável entre trabalho e vida pessoal. (FastCompany)

O site que reúne jornais produzidos em prisões americanas. Coleção digital disponibiliza centenas de publicações que foram impressas entre 1800 e 2020 e idealizadas por presidiários nos Estados Unidos. (Nexo)

#GráficosDaSemana

#VergonhaDaSemana

#PrintsBolsonaristas

Acompanhem o @printsminions para ler tudo que acontece no submundo bolsonarista das redes sociais. É o que tem de mais alucinante e perigoso da milícia digital da extrema-direita com um monte de teoria da conspiração e absurdo.