#137 – Justiça por Dom e Bruno

News com 24 horas de atraso por motivos de dia dos namorados hehe
E chegamos lembrando da tragédia na região amazônica: o desaparecimento do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. Foram encontramos alguns pertences da dupla e ventilou-se a informação de que os corpos haviam sido encontrados, mas, até agora, nada. Nenhuma confirmação oficial.

Há infinitas críticas ao governo brasileiro que, ao que tudo indica, pouco tem feito para encontrar os dois cidadãos. Há relatos de que é a população local que tem feito o maior esforço nas buscas. O que esperar de um governo que faz o que faz com a Amazônia? A região está largada, totalmente abandonada e entregue para o grilheiros e madeireiros, todos ilegais. Temos um governo anti indígena, a favor da morte e da violência, totalmente contrário ao meio ambiente e aos direitos humanos. O bolsonarismo está se lichando para Dom e Bruno. O desaparecimento dos dois não interessa ao governo. Os genocidas querem mesmo é fazer motociata e rir da cara da população.

🇨🇺 Governo de Cuba adota sanções contra pessoas que participaram de manifestações. (Prensa Latina)

🇦🇷 Analistas elevam a previsão de inflação da Argentina em 2022 para 72,6%. (Reuters)

🇨🇴 Rodolfo Hernández, candidato à presidência da Colômbia, diz que sua vida está em risco e cancela atos públicos. (g1)

🇨🇴 “Considero meu pai um homem em desconstrução e isso é um avanço para o feminismo” disse Sofía Pedro, a filha do candidato à presidência da Colômbia. (El País)

🇨🇱 No Chile, indecisão impera enquanto eleitores estão divididos sobre nova Constituição. (Reuters)

🇧🇴 Conheça as acusações que levaram a condenação da ex-presidente da Bolívia.
(El Deber)

🇲🇽 Ameaças de morte, famílias destruídas e assédio em nome do apóstolo: sobrevivendo a La Luz del Mundo. (El País)

🇪🇨 Indígenas do Equador bloqueiam estradas em protesto contra o governo Guilhermo Lasso. (O Globo)

🇵🇾 Oposição do Paraguai vai se unir em eleição presidencial. (TeleSUR)

🇩🇴 Ministro do Meio Ambiente da República Dominicana é morto a tiros. (El País)

🇺🇸 O ataque ao Capitólio no dia 6 de janeiro, quando o Congresso dos EUA homologou a vitória de Joe Biden, foi uma tentativa de golpe de Estado liderada pelo então presidente Donald Trump. (The Washington Post)
 🇺🇸 Um grupo de 20 senadores americanos — 10 republicanos e 10 democratas — anunciou um acordo para rever as leis de controle de armas. (The Washington Post) 🇺🇸 Governo dos EUA prende dezenas de supremacistas brancos que se organizavam para atacar evento LGBTQIA+. (BBC)

🇫🇷 Resultado do 1° turno das eleições legislativas na França ameaça maioria absoluta de Macron. (UOL)

🇧🇪 Rei da Bélgica fala em ‘arrependimento’, mas não pede desculpas ao Congo pela colonização. (Estadão)

🇺🇦 ‘Quem vai trazer ele de volta?’: sem apoio, família de brasileiro morto na Ucrânia diz não ter como repatriar corpo. (BBC Brasil)

🇹🇭 Por que a Tailândia está distribuindo 1 milhão de mudas de maconha de graça. (UOL)

🇧🇫  Pelo menos 50 mortos em ataque rebelde em Burquina Fasso. (Al Jazeera)

#MandaDicas

Fascismos iberoamericanos: Plínio Salgado e a solidariedade nazista. Áudio da fala dos professores convidados para as mesas redondas do evento “O fardo dos nossos tempos” em formato de podcast. Esse programa é da mesa “Nazismo à brasileira: expressões e continuidades” com o professor Leandro Pereira Gonçalves (História-UFJF). (Texto – Desnazificando)
Papa Francisco: as reformas e os rumores de renúncia. Já se passou quase uma década desde que Bento 16 renunciou ao trono de São Pedro e a Igreja Católica escolheu o primeiro cardeal latino-americano como seu líder supremo. Desde então, o papa Francisco tem nomeado novos cardeais que podem perpetuar a visão dele sobre o catolicismo e implementado uma série de reformas na Igreja. A última delas promoveu mudanças na Cúria Romana e foi concluída recentemente. Ao mesmo tempo, têm circulado rumores de que Francisco, já com problemas de saúde, poderia seguir os passos do antecessor e renunciar ao pontificado.
(Texto – Café da Manhã)
Em um futuro distópico, o governo brasileiro decreta uma medida provisória, em uma iniciativa de reparação pelo passado escravocrata, provocando uma reação no Congresso Nacional. O Congresso então aprova uma medida que obriga os cidadãos negros a migrarem para a África na intenção de retornar a suas origens. Sua aprovação afeta diretamente a vida do casal formado pela médica Capitú (Taís Araújo) e pelo advogado Antonio (Alfred Enoch), bem como a de seu primo, o jornalista André (Seu Jorge), que mora com eles no mesmo apartamento. Nesse apartamento, os personagens debatem questões sociais e raciais, além de compartilharem anseios que envolvem a mudança de país. Vendo-se no centro do terror e separados por força das circunstâncias, o casal não sabe se conseguirá se reencontrar.  (Texto – Adoro Cinema)
Doideira que conheci com a Jé esses tempos e achei engraçado demais. Uma espécie de Ponte do Rio que Cai do Faustão com um monte de gringo maluco. As equipes pulam sobre cadeiras, penduram-se em cortinas e se balançam em candelabros. Tudo isso para tentar atravessar um cômodo sem cair na lava. Pode acreditar. (Texto – Netflix)

Leituras complementares

Bolsonaro aproveitou um encontro reservado com o colega americano Joe Biden durante a Cúpula das Américas para pedir ajuda de Washington em sua reeleição. (Bloomberg)

Ministros do STF atribuem descontrole de Bolsonaro a vantagem de Lula nas pesquisas e temor pelo futuro da família. (g1)

Cresce repetição de voto em Bolsonaro em 2022. (Poder360)

‘Deixarei o governo de forma democrática’, diz Bolsonaro a Biden. (UOL)

PSDB decide apoiar Simone Tebet com Tasso Jereissati de vice na chapa. (Estadão)

Bolsonaro quer nomear 4 e não 2 ministros do STF em caso de 2° mandato. (Metrópoles)

União Brasil abandona Garcia e diz que negocia com Haddad e Tarcísio. (UOL)

O que elege presidentes desde a redemocratização do Brasil. (Nexo)

TSE acolheu 10 propostas feitas por militares. (Poder360)

Ex-diretor da Odebrecht diz em documentário que foi pressionado pela Lava-Jato para citar Lula. (O Globo)

Brasil terá que reduzir desmatamento e respeitar democracia para entrar na OCDE, diz plano da organização. (BBC Brasil)

Procurador de Atalaia do Norte, onde está preso suspeito de sumiço de indigenista e jornalista, é um dos advogados de acusado. (O Globo)

Os minutos finais de Bruno e Dom em São Rafael. (Amazônia Real)

Cartilha editada pelo Ministério da Saúde diz que ‘todo aborto é crime’ e defende ‘investigação policial’. (g1)

TCU libera contrato do Ministério da Justiça para sistema de inteligência. Programa é capaz de acessar smartphones sem que o usuário do aparelho necessariamente precise clicar em links maliciosos ou tenha comportamento descuidado na internet. (CNN Brasil)

Youtube remove dezenas de vídeos sobre fraude eleitoral. (Núcleo Jornalismo)

Quem foi Xica Manicongo, que deve ser 1ª travesti a dar nome a rua de SP. (UOL)

Mais de 10 milhões sobreviviam com R$ 1,30 por dia em 2021. (Estadão)

Uso de lenha em casas bate patamar de 2009 por alta do botijão. (Poder360)

‘Antes de eu ir embora, a senhora poderia deixar eu só jantar?’, pede preso ao conseguir alvará de soltura na Grande BH. (g1)

Como a invasão de galpões de ecommerce mudou Cajamar. (Nexo)

Maconha e sonhos: como eles se relacionam? (Elastica)

Trabalho, saúde mental e finanças preocupam geração Z e millennials. (g1)

Dados de saúde valem mais que informações financeiras na dark web. De acordo com o relatório anual da Apura Cyber Intelligence, no ano passado, a área de saúde foi a terceira atacada por cibercriminosos. (Forbes)

Ensino a distância, entretenimento digital e melhorias de home office animam brasileiros com o avanço do Metaverso. (Ipsos)

Bem-vindo ao verão dos robôs. (Axios)

Quanto fica para a banda? Líderes de cachês acumulam queixas e ações de músicos e funcionários. (g1)

#FotoDaSemana

Foto – Tiago Queiroz/O Estado de S. Paulo

#ChargesDaSemana

#GráficosDaSemana

#MapasDaSemana