Amor ou Abuso? Você sabe o que é um relacionamento abusivo?

Quando falamos de relacionamento abusivo, imediatamente imaginamos a violência física. Mas podemos caracterizar um relacionamento abusivo com qualquer tipo de violência que seja verbal, emocional, psicológica, física, sexual, e até mesmo tecnológica (controle das redes sociais do parceiro, querer obter senhas pessoais, controle de conversas, etc.)


Algumas pesquisas apontam que mais de 80% dos casos o abusador é um homem e a vítima é uma mulher.
Na maioria das vezes a relação abusiva começa de forma carinhosa e sutil. Aos poucos, a mulher vai perdendo o poder social e se afastando de amigos e família. Em alguns casos, a mulher deixa até o emprego a pedido do homem, que tem como promessa recompensa-la de alguma forma.

Sem perceber, a mulher vai cedendo e atendendo a todos os pedidos do parceiro. As brigas começam cheias de ameaças, chantagens e humilhações. Quando não ocorrem também a violência física. É geralmente nesse período que a vítima pode apresentar ansiedade, insegurança, baixa na autoestima, culpa, até que o parceiro começa com as promessas de mudanças, o que na verdade não acontece. Vira um ciclo sem fim, e a vítima não consegue se livrar.

Diante de uma ou inúmeras propostas de mudança, sempre se questione se valerá a pena. O quanto esse relacionamento reflete em seus valores e na sua essência. Não se anule, um relacionamento deve ter respeito, parceria e empatia. Humilhações, gritos, controle não se encaixam em qualquer relação.

Nem sempre quem está de fora pode notar que o casal está em um relacionamento abusivo. Ao contrário do que acreditamos, o abusador pode apresentar comportamento apaixonado e muito romântico. Se isso confunde a cabeça da vítima, imagine de outra pessoa que não sabe como é o dia a dia dessa relação?

Se você notar, ou souber de uma relação abusiva, não julgue e sim, ajude. Não questione, simplesmente estenda a sua mão. Ofereça sua confiança e chame-a para conversar.

Se for você a vítima, procure ajuda. Busque pela Psicoterapia, família e amigos. Trazer a consciência dos fatos, te auxiliará no fim desse relacionamento. Se existir violência física, sexual, não hesite em chamar a polícia.

Aqui, vale lembrar de uma coisa muito importante: como você foi educado?

Ressalto a importância na educação das crianças. Adultos são espelhos para elas.

Somos a maior fonte de confiança dos filhos, e por isso, cuidado com o comportamento que você emite em frente a uma criança, e nunca permita a agressão entre eles. Não tem essa de “ah, é brincadeirinha!”
Temos como responsabilidade, ensinar o que é a definição de amor aos pequenos. Se hoje você ensina para seus filhos que bater é amar, você pode imaginar o que essa criança poderá aceitar quanto se tornar um adulto? Será ele a vítima ou o abusador?

Tenha coragem de se libertar de qualquer relação que te diminua como pessoa. Não permita que os seus medos apaguem seus sonhos. Amor é luz.