Mães, sobrevivam!

Acho que não só as mães mas todas as pessoas nessa pandemia estão no modo sobrevivência, né? A gente vive um dia de cada vez, tentando conciliar um homeoffice que parece mais uma soma de afazeres domésticos infindáveis com o cuidado dos filhos e com o trabalho propriamente dito.

Outro dia estava conversando com uma prima minha que trabalha numa grande empresa e perguntei como ela estava sobrevivendo. Ela me contou que faz reunião de fone fazendo almoço, passando vassoura na casa e para apresentação no meio para acalentar um pedido ou choro do filho.

Ah, e nem entrei no mérito do homescholing. Sabe o que é homescholing? É uma prática de ensino muito comum nos Estados Unidos em que uma família se propõe a ensinar os filhos em casa. Para isso, a mãe ou cuidador estuda muito, tem respaldo de uma escola, muitas vezes tem treinamento e se dedica quase que exclusivamente a essa prática. A gente tá fazendo homescholing?

Claro que não! A gente caiu de paraquedas nessa aí! Tem aula ao vivo, aula gravada, tarefa de casa e livro pra ler. Vai me falar que seu filho pequeno fica na frente do computador ouvindo a professora se você não estiver do lado? E como faz pra gente ensinar? Falta tudo! Falta paciência, falta tempo, falta
didática e falta conhecimento.

E enquanto a preocupação do homescholing mal feito vem na cabeça, a gente lembra do homeoffice mal feito, da comida mal feita, da faxina mal feita. E que horas você conseguiu sentar pra brincar com seu filho? E pra assistir uma televisão e relaxar? Oi? Não sei aí na casa de vocês, mas aqui os momentos de relaxamento estão no banho de 5 minutos e no banheiro que vou, muitas vezes com o Matheus no meu colo.

Uma outra amiga minha posta direto nos stories do Instagram as peripécias dos filhos durante suas reuniões on-line. É parede riscada, cremes e shampoo pra todo lado, saco de papel higiênico dentro do vaso sanitário, bebê pintado de canetinha pela irmã mais velha, sofá rasgado e assim vai!

Eu e minha comadre choramos juntas outro dia! Quarentena pra quem? Sentar e assistir série pra quem? Nem forças pra tomar vinho mais a gente está tendo. Oito horas da noite e eu só penso na minha cama.

Então vem uma pessoa e me diz que a gente está de homeoffice e homescholing. Não querido, não estamos. Homeoffice se dá quando uma pessoa tem um cômodo da casa adaptado e silencioso para que ela possa se concentrar e trabalhar da própria casa, de maneira remota.

Homescholing é quando os pais estudam e se organizam de maneira consciente para ensinar seus filhos em casa (prática no Brasil que nem é regulamentada). O que está acontecendo com a gente nessa pandemia é o modo sobrevivência. É dar legumes no almoço pra dar pizza no jantar. É fazer uma brincadeira educativa pra cada 2 (ou 4 ou mais) horas que o filho está na televisão, tablet ou celular). É fazer uma reunião dando banho no filho. É largar a casa uma zona de brinquedos, afinal, amanhã o bebê vai acordar e tacar tudo no chão de novo mesmo.

Estamos vivendo um dia após o outro. E acredite. Esses dias não farão diferença alguma na vida dos nossos filhos.

Tá tudo bem se ele não aprender as cores agora. Tá tudo bem se ele não jantar abobrinha hoje. Tá tudo bem se ele quiser assistir mais um episódio de Patrulha Canina. Tá tudo bem se você não cumprir todas as metas profissionais que você tinha se comprometido até dezembro. Tá tudo bem se seu áudio abrir no meio de uma reunião com trinta professores e coordenadores de curso em que o tema biossegurança está sendo discutido para a reabertura das aulas clínicas enquanto você insiste pro seu filho sair do fusca que ele tá brincando de dirigir e ir tomar banho porque já está na hora de dormir. Tá tudo bem se seu celular começar a pipocar de mensagem tentando te avisar que tá todo mundo ouvindo a briga do fusca/banho/dormir e todo mundo tá percebendo que você não está prestando atenção na reunião (pelo menos não a atenção que você deveria estar prestando).

Estamos vivendo tempos difíceis. Ao invés de nos cobrarmos tanto, vamos nos abraçar e dizer que vai ficar tudo bem! Porque vai ficar tudo bem!