Música e cinema

Revisão de texto: Camila Reis

Ação, suspense e crime. Do Vale do Paraíba acaba de sair uma das obras musicais cinematográficas mais interessantes da atualidade. Contando histórias de um bandido profissional, “A Vida de Axel Alberigi – Parte 2” é a segunda de uma trilogia musical da vida criminal de um pai contada por um filho – Axel. Quem inevitavelmente cria as imagens é o ouvinte. É impossível não construir instantaneamente o visual de ação vividos nas ruas de Jacareí, Texas e Guatemala, com uma carga de tensão envolvedora. Álbum inclusive que pratica fielmente o conceito de álbum, com uma coleção de ideias relacionadas em um fio condutor temático. Um desenrolar de tramas e reflexões durante as faixas como se fossem capítulos.

O álbum, que parece ter a capa influenciada pela do filme Scarface, dá andamento no “A Vida de Axel Alberigi – Parte 1”, outro disco que segue o formato de contação de história (lá fora chamado de storytelling) e conta com instrumentais incríveis, de maioria amarga e uma gota doce.

Axel, mais conhecido como A.X.L  é um rapper de Jacareí, e compõe uma safra de rappers interessantes que surgiram nos últimos 10 anos no Vale do Paraíba. Incluem nomes como Síntese, Tássia Reis, Barba Negra, Nego Max, Dukes e mais. Boa parte desses artistas se destaca pelo conteúdo lírico que aborda basicamente o  autoconhecimento. A.X.L é um exemplo claro desse discurso com seus lançamentos anteriores “Ouro no Sangue” e seu projeto “Roda de Rezo”, com Bruno Cons. Outros exemplos são as faixas “Se Escute” e “Novo Dia”, da dupla Síntese.

A Vida de Axel Alberigi – parte 2 está disponível nas plataformas digitais.