Música Pura

Iniciando os trabalhos aqui no Margem agradecendo ao Pedro Chavedar pela confiança e liberdade de poder falar de música, uma das coisas mais importantes da minha vida.

Música é algo imensamente amplo. O comércio dela criou um caminho que não deveria ser o único a darmos atenção. Um exemplo é o quanto a música instrumental é algo ignorado pela maioria dos ouvidos. O termo “música instrumental” inclusive chove no molhado, já que a música é antes de mais nada a combinação/união de sons. E a voz também é um instrumento musical, mas a palavra, a ideia, não era pra ser algo essencial e sim somatório pra música. Veja bem. Isso não quer dizer que as poesias e ideias que acompanham uma composição músical não tenham valor ou não sejam importantes, e sim, que se deve compreender o que é a música em essência, música pura, a que esquecemos. Música pura fala por si só. Ritmos, timbres, melodias e harmonias estimulam diversas sensações: altos sentimentos de amor, empolgação, clareza nas ideias, revolta, coragem, violência. Isso tudo sem ter uma letra do nosso alfabeto vocalizada. E a combinação da música com ideias criou muitas das músicas mais maravilhosas de todos os tempos.

Que seja reavaliado por nós o que significa a palavra música e o poder que ela tem. Música revigora. Seja ouvindo ou fazendo. Música é também uma grande ferramenta, educa e deseduca através das idéias. Causa evolução e involução. Música justifica a existência de muita gente.

Por falar em música, uma semana atrás lancei “Samba Alterado”, um setmix (também chamado de djset ou mixtape) dedicado a uma pequena parte de uma das culturas musicais mais ricas do mundo, a nossa brasileira.

https://m.mixcloud.com/GRWCRW/samba-alterado-x-dj-nandes-castro