Tem que ser no 1º turno!

O presidente Bolsonaro chegou a Londres neste final de semana para acompanhar o funeral da rainha Elizabeth II. Primeiro: ele nunca pisou em nenhum enterro dos quase 700 mil brasileiros mortos pela Covid-19.

Segundo: Bolsonaro transformou sua chegada em um comício eleitoral. Dezenas de apoiadores o esperavam em frente a casa do embaixador em Londres e ele discursou. Sim: ele fez um comício. (Veja aqui). 

Terceiro: o presidente levou uma comitiva (paga com o nosso dinheiro) para acompanhá-lo. Estavam junto com a primeira-dama Michelle Bolsonaro, o chefe da assessoria internacional do Palácio do Planalto, Filipe Martins, o filho e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), o chefe da comunicação da campanha de Bolsonaro à reeleição, Fábio Wajngarten. O presidente ainda levou o pastor evangélico Silas Malafaia e o padre Paulo Antônio de Araújo, sacerdote da Igreja Católica. Pra piorar: o maquiador e influenciador digital Agustin Fernandez, um dos melhores amigos da primeira-dama, também estava por lá.

Sim: o cara transformou em comício o funeral da rainha. Ele e sua turma cantaram o hino nacional, falaram de ideologia de gênero, disseram que a bandeira brasileira jamais será vermelha, xingaram o PT e o ex-presidente Lula e por ai foi. Os bolsonaristas estavam tão exaltados que a polícia de Londres teve que escoltar alguns manifestantes ingleses contrários ai presidente. (veja aqui)

Falta pouco pra gente botar esse presidente no lixo da história.
E tomara que já seja no 1º turno.

🇦🇷 Presidente argentino denuncia plano para assassiná-lo. (TeleSUR)

🇨🇱 No Chile, partidos políticos chegam a acordo para escrever nova Constituição. (DW)

🇲🇽 Governo do México prende general acusado de envolvimento no massacre de Ayotzinapa. (El País)

🇵🇪 No Peru, estão no limite os serviços de saúde mental para crianças e adolescentes. (Ojo Publico)

🇪🇨 Presidente do Equador, Guillermo Lasso, anunciou uma lista de oito perguntas que, se aprovadas pela Corte Constitucional (CC) do país, serão submetidas a um referendo popular. (Primicias)

🇻🇪 Dos semáforos da Venezuela para as Olimpíadas de Paris. Um grupo de jovens venezuelanos tenta vaga no break dance nas próximas olimpíadas. (El País)

🇨🇺 Governo de Biden admite que sua política com Cuba é diferente da de Obama. (UOL)

🇳🇮 Vaticano busca negociações sobre repressão católica na Nicarágua. (AP)

🇸🇻 Nayib Bukele. presidente de El Salvador, vai tentar a reeleição em 2024. (El Salvador)

🇭🇹 Haiti tem protestos nas ruas após anúncio do aumento do preços dos combustíveis. (AP)

🇺🇸 Steve Bannon: Estrategista de Trump e aliado de Bolsonaro se diz ‘fascinado’ por Lula. (BBC Brasil)

🇮🇹 Instabilidade política leva a Itália ao 68º governo em 75 anos. (Poder360)

🇳🇱 A cidade que processa Twitter por rumor de seita de pedófilos satanistas. Uma cidade holandesa levou o Twitter aos tribunais por conta da disseminação de uma teoria da conspiração que alega que o local já foi o lar de uma seita de pedófilos adoradores de Satanás. (BBC Brasil)

🇨🇳 Um dia na vida de um motorista de robotaxi chinês. (MIT Technology Review)

🇵🇰 Nas inundações recordes do Paquistão, as aldeias agora são ilhas desesperadas. (The New York Times)

🇸🇾 Sírios votam para decidir as autoridades municipais. (TeleSUR)

🇮🇷 Morte de mulher presa por não usar véu gera revolta popular no Irã. (RFI)

🇦🇿 Conflitos entre Armênia e Azerbaijão deixam mais de 200 mortos em uma semana. (g1)

🇹🇯 Sobe para 81 o número de mortos nos confrontos na fronteira Tajiquistão-Quirguistão. (Al Jazeera)

🇲🇱 Grupo extremista deixa dezenas de civis mortos no Mali. Foi a primeira vez que a cidade de Talataye, na região africana do Sahel, foi atacada por jihadistas do Estado Islâmico no Grande Saara; área fica em cruzamento de influência de grupos armados e terroristas rivais. (Alma Preta)

#MandaDicas

Não! Não olhe! Uma cidade do interior da Califórnia começa a ter eventos bizarros e extraterrestres. Uma dupla de irmãos interpretado por Keke Palmer (True Jackson e Alice) e Daniel Kaluuya (Corra e Judas e o Messias Negro), possuem um rancho de cavalos e são vizinhos de um parque de diversões de uma série de televisão do personagem interpretado por Steven Yeun, inspirada no velho oeste. Os dois então são testemunhas de eventos bizarros e discos voadores. (Texto – Adoro Cinema)
Como mudar sua mente. Alex Gibney adapta o livro de Michael Pollan, autor do best-seller de mesmo nome, em um documentário científico instigante. Michael e Alex discutem o que nós podemos aprender com o uso de psicodélicos, como entender as complexidades da consciência, morte, vício, depressão e transcendência. Dividida em 4 episódios, cada um dos capítulos aborda uma substância diferente, sendo elas o LSD, MDMA, psilocibina e mescalina. Michael serve como guia para nos levar até os limites da psicodelia e, dessa forma, explora os benefícios que ela pode trazer à saúde, sem esquecer de reconhecer o contexto histórico que cerca as substâncias. Além disso, a série traz entrevistas com profissionais, bem como escuta o depoimento daqueles que sofrem de transtornos mentais e tiveram experiências que mudaram suas vidas.
(Texto – Adoro Cinema)
Infiltração neofascista na esquerda brasileira. Você sabia que o número de células e grupos neofascistas não para de crescer no Brasil? Que só nos últimos três anos houve um aumento de 270%? E você consegue estabelecer alguma relação entre esse crescimento e o clima que se instalou no Brasil desde 2019, com a eleição do atual governo militar, cujas principais medidas incluem a facilitação de compra de armas e munições, e o incentivo para que a população se arme, para se proteger do “comunismo”, aquele mesmo que motivou o golpe de 1964. Portanto, não é de se surpreender com esse avanço do neofascismo e do negacionismo. Mas a novidade é que grupos neofascistas estão se infiltrando em partidos de esquerda, em especial o PDT.
(Texto – Roteirices)
Polarização e o voto evangélico: a realidade descolada das pesquisas e das manchetes de jornais. O voto do eleitor evangélico é realmente decisivo para essa eleição? E o evangélico que a pesquisa está retratando correnponde com a realidade da maioria? João Pedro Stedile, liderança do MST, pastor Ariovaldo Ramos, fundador e coordenador nacional da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, e os apresentadores Camila Salmazio e Igor Carvalho, do Brasil de Fato, debatem também a polarização e a violência que tem escalado nas últimas semanas com mortes de petistas por bolsonaristas. (Texto – Três por quatro)

Leituras complementares

Política nacional

28% dos eleitores de Ciro não têm certeza do voto. (Poder360)

PF vê pressão para desenterrar caso da facada antes das eleições. (Metrópoles)

Bolsonaro beneficiou financiador de motociatas com redução de impostos.
(Congresso em Foco)

O jogo duplo da Universal. Edir Macedo se prepara para o desembarque da candidatura Bolsonaro, dizem religiosos. (The Intercept Brasil)

Igreja Universal pede para fiéis fazerem jejum de informações no meio da campanha eleitoral. (Estadão)

Campanha de Bolsonaro gasta com anúncios no Google pouco mais da metade dos gastos de Lula. (O Globo)

‘LulaFlix’: Lula aciona TSE para retirar site com propaganda negativa do ar. (UOL)

Pesquisas indicam que ícones do bolsonarismo podem ser varridos. (Metrópoles)

De Ceilândia ao Alvorada, Michelle deixa reclusão e quer ser Kate Middleton. (TAB UOL)

Eleições de 2022 terão ao menos 218 candidaturas coletivas. (Poder360)

Tecnologia, mercado e inovação

Dinheiro real, músicos falsos: por dentro de um esquema de verificação de milhões de dólares no Instagram. (ProPublica)

Não faz sentido comparar o BeReal com o Instagram. (Polygon)

Inteligência artificial pesquisa câmeras públicas para descobrir quando as fotos do Instagram foram tiradas. (PetaPixel)

Buzzfeed abre lojas em aeroporto. (Axios)

Do sucesso à desistência: o que aconteceu com Luva de Pedreiro? Especialistas em marketing de influência veem falta de preparo emocional na trajetória do jovem, que anunciou que não publicará mais vídeos. (Meio&Mensagem)

No TikTok, influenciadores  estão sendo criticados por postarem conteúdos contra medidas anticoncepcionais. (Wired)

Influencers evangélicos falam mais de Bolsonaro do que de religião em redes. (UOL)

Brasil se torna o principal mercado de criptoativos na América Latina. (Estadão)

Fundador da marca Patagonia, Yvon Chouinard doa 100% da empresa para fundo que vai combater crise climática. (Época Negócios)

Sociedade

De defesa de armas a fim de cotas, pauta conservadora é rejeitada por maioria, diz pesquisa. (Estadão)

Berço do Bolsa Família é esquecido pelo Congresso. Escolhida para testar programa social em 2003, Guaribas votou em candidato derrotado em 2018. Como resultado, foi excluída do orçamento secreto e das demais emendas. (Estadão)

Três em cada dez famílias enfrentam insegurança alimentar moderada ou grave. (g1)

Suco em pó, ovo dividido e carimbo para não repetir: a merenda encolheu. (O Globo)

Jovens do funk cobram políticas públicas e descriminalização dos bailes no próximo governo. (Agência Mural)

‘Me demiti em crise de ansiedade’: os relatos de assédio e pressão dos estagiários de Direito. (BBC Brasil)

Guybrators, Joysticks e teledildonics: por dentro da revolução da tecnologia sexual. (DAZED)

Segurança pública

O medo e a violência como ameaças à democracia brasileira.
(Fórum Brasileiro de Segurança Pública)

Exército diz não saber tamanho do arsenal de CACs em cada cidade brasileira. (UOL)

Meio ambiente

Gado criado ilegalmente em terra indígena no Pará abastece JBS e Frigol.
(Repórter Brasil)

“Por que os garimpeiros comem as vaginas das mulheres Yanomami?” A pergunta denuncia o horror imposto pela omissão deliberada do governo Bolsonaro à população da maior terra indígena demarcada no Brasil, invadida por cerca de 20 mil mineradores ilegais, acusados de violar as mulheres e a floresta amazônica. (Sumaúma)

Economia

Brasil tem a 6ª menor inflação do G20 em 2022. (Poder360)

Bolsonaro encerrará mandato com Brasil mais endividado e fatura represada de gastos para 2023. (Folha de S.Paulo)

85% das pessoas querem que ricos paguem mais impostos, diz pesquisa. (Yahoo)

Comunicação

“Não dá para contar a história de Bolsonaro sem contar a da imprensa”. Para Jamil Chade e Juliana Monteiro, parte dos meios de comunicação do país foi cúmplice da vitória do atual presidente. (Carta Capital)

Silvio Santos, a grande aposta da Disney no Brasil. (Update or die)

Record fecha acordo polpudo de R$ 65 milhões com a Netflix para A Fazenda. (Observatório da TV)

Arte e Cultura

20 anos de ‘Cidade de Deus’: como filme mudou a história do cinema nacional. (UOL)

Annie Leibovitz relembra como foi fotografar a rainha Elizabeth II. (Vogue)

#GráficoDaSemana

Interessantíssima a reportagem da DW que mostra a ascensão dos governos e o declínio das democracias em todo o planeta.

Segundo a reportagem, o Brasil é um dos 12 países onde os sistemas democráticos estão se inclinando para a autocracia. A informação veio dos dados publicados pelo Varieties of Democracy (V-Dem), um instituto de pesquisa independente com sede na Universidade de Gotemburgo. Os outros 11 países são: Polônia, Níger, Indonésia, Botsuana, Guatemala, Tunísia, Croácia, República Tcheca, Guiana, Maurício e Eslovênia.

Os dados ainda mostram que 17 países já perderam essa luta contra a autocracia. Alguns deles são, por exemplo: Turquia, Filipinas e Hungria.

Caso você queira ler a reportagem completa, o link é esse.

#CuriosidadeDaSemana

Na semana passada, a jornalista Vera Magalhães sofreu um ataque fascista e machista de um deputado bolsonarista (veja o vídeo aqui). O absurdo aconteceu depois do debate dos candidatos ao governo do estado de São Paulo.

Muita gente, entre políticos e cidadãos, se mostraram indignados com a atitude do político que estava no debate a convite do candidato bolsonarista Tarcísio de Freitas (PL). O curioso de tudo foi o posicionamento de Eduardo Bolsonaro (PL), um dos filhos do presidente, que criticou a atitude de seu aliado.

Confesso que não entendi muito bem – mas talvez mostre um posicionamento que venho notando: um certo distanciamento do clã Bolsonaro do candidato Tarcísio. O presidente, parece, não tem dado muita bola e nem muita corda o ex-ministro. O motivo? Não sei bem. Talvez porque o presidente saiba que o candidato possa perder e não quer se queimar no maior estado? Confesso achar estranho e diferente o trato que Bolsonaro tem dado para o candidato.

#MapaDaSemana

#ChargeDaSemana