Tudo saindo conforme não planejamos

Sempre fui uma pessoa extremamente planejada. Sei o que vai acontecer na minha vida, mês a mês, desde uns 15 anos. Lembro-me de ter certeza que no terceiro ano do ensino médio eu entraria na Universidade direto.

Na faculdade, fiz os estágios que queria, prestei prova de mestrado e passei antes da minha formatura. Segui minha carreira profissional como sempre planejei. Voltei a morar em Mogi e casei no ano que havia decidido. Tudo certinho nos mínimos detalhes.

E então veio Matheus na minha vida. Num período em que eu não estava mais planejando engravidar; pelo menos, não naquele mês. Não tive uma gravidez atlética como imaginava até porque, além da gravidez ser de risco, eu só tinha forças pra dormir. Não me alimentei saudável. Minha vontade era comer só açúcar. Fiz fisioterapia pélvica e yoga a gravidez inteira para meu sonhado parto natural e Matheus quis vir ao mundo de cesária. Tinha me programado a voltar a trabalhar rápido e Matheus teve uma alergia alimentar
que jogou meus planos de retorno pra frente.

Olha, eu poderia passar uns dois dias aqui só falando sobre momentos que eu planejei coisas com o Matheus e simplesmente deu errado. Mas hoje eu quis vir aqui contar um causo em específico que aconteceu ontem. De quinta feira a noite eu gosto de assistir um programa específico na televisão. Ele começa às 22h da noite. Matheus ia passar a tarde na casa da madrinha e do padrinho. Eis que eu planejei na quarta feira: Matheus acorda todos os dias entre 7 e 8 horas da manhã. Por volta de 12h ele almoça, 14h cochila até às 15h30min, acorda, vai pra a casa dos meus compadres. 18h30min eu saio do consultório, busco ele, dou janta, 21h ele está na cama, 22h eu estou no meu sofá com minha taça de vinho.

Ai que rotina perfeita, né? Vou contar pra vocês o que realmente aconteceu: Matheus acordou 10:30. Almoçou umas 13h, foi pra casa dos padrinhos sem dormir. Busquei ele umas 19h, ele no auge do sono dormiu no carro. Dei uma mamadeira pra ele dormindo mesmo, troquei a fralda, coloquei na cama e aí, nesse momento, ERREI! Entrei no quarto da minha irmã e fiz a Dancinha da Vitória porque coloquei meu filho na cama as 19:30. Sim! Cometi o erro de uma mãe desavisada que não sabe da primeira regra na maternidade: Não deboche dos astros. Nunca! Não faça dança da vitória. Não acredite que o jogo está ganho. Ele não está.

Matheus acordou 22:00. Bem na hora do programa que eu queria assistir. Tentamos fazer ele retornar ao sono. Ele não retornou. Fomos para a Patrulha Canina. Ele acordou de vez. As 23:30 estávamos brincando de esconde-esconde.

Com filhos, nada sai como planejado. Não adianta. Você pode marcar uma reunião na hora do cochilo e ele não cochilará. Você pode marcar uma viagem com 6 meses de antecedência e ele pegar catapora 5 dias antes da viagem. Você pode fazer o almoço mais delicioso e nutritivo possível bem no dia em que ele está sem apetite. E ter só banana na fruteira bem no dia que ele está com fome de 2 em 2 horas. E isso vem me ensinado muito na vida. A como levar a vida mais leve e cobrar menos de mim e, consequentemente, menos as pessoas a minha volta.

O segredo é não criar um planejamento rígido e tentar não depositar 100% de suas expectativas naquilo. Marco reuniões com as pessoas cientes de que pode acontecer algo e eu desmarcar e/ou fazer a reunião com o
Matheus no colo. Marco viagens com possibilidade de cancelamento ou, dependendo da situação, viajo para um hotel com piscina com Matheus saindo de uma infecção de garganta. Faço a comida sem a expectativa do Matheus comer. Eu ofereço, faço minha parte, a dele depende dele. E tá tudo bem.