Vereadores apelam ao Governo de São Paulo para que não implante o pedágio na Mogi-Dutra

Foi aprovada, na sessão ordinária desta quarta-feira (05), pela Câmara Municipal, a Moção 67/2021, de autoria de todos os vereadores, que apela ao Governo do Estado de São Paulo pela não implantação do pedágio, na rodovia Mogi-Dutra (SP-088), na altura do KM 45. O pedágio, proposto pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), ainda está na pauta do Governo.

“Temos que apelar para que não façam isso com a nossa cidade, que será dividida ao meio. Vamos onerar também os nossos produtores rurais. São vários motivos, mas o principal foi que a Mogi-Dutra foi construída com dinheiro dos mogianos”, argumentou o vereador Marcos Furlan (DEM).

Já o vereador Edson Santos (PSD) pediu um esforço conjunto para barrar o pedágio e falou sobre a importância na busca de apoio. “Temos que buscar apoio dos deputados, da imprensa de nossa cidade. Precisamos transformar esse movimento em uma campanha forte. A Casa está correta porque temos que colocar a posição do Legislativo. Não dá para dividir a nossa cidade no meio, onde os moradores vão ter que pagar pedágio para ir ao centro”, afirmou.

“De fato esta Casa está atenta a essa questão do pedágio. O Governo do Estado de São Paulo sinceramente não está pensando na população de Mogi das Cruzes. Isso vai trazer para a nossa cidade um grande prejuízo”, pontuou o vereador Policial Maurino (Pode).

Também se manifestaram contra o pedágio os vereadores Francimário Vieira Farofa (PL), Iduigues Martins (PT), Malu Fernandes (SD), Zé Luiz (PSDB), prof. Edu Ota (Pode) e Inês Paz (PSOL).